Nuno Bugalho Carocha, intendente da PSP, disse em entrevista à RTP que a polícia vai estar na rua a informar as pessoas durante os Santos Populares. Além disso, as forças de segurança vão tentar que haja, "por parte das pessoas e dos operadores económicos, uma vontade de cumprir a lei".

"Temos diversas regras. Tal como a senhora Diretora-geral [da Saúde] acabou de dizer, aqueles arraiais que todos conhecemos, tradicionais, que juntam milhares de pessoas na rua são impensáveis atualmente, principalmente com os números que a Área Metropolitana de Lisboa apresenta atualmente", começou por referir. "O risco de contágio e de multiplicação das redes de contágio é enorme", lembrou Nuno Carocha.

"É mais um esforço que vamos ter de fazer, à semelhança do que já fizemos, por exemplo, durante a Páscoa. Não pudemos, tradicionalmente, comemorar a Páscoa e tivemos todos de encontrar outras formas. Também agora vamos ter de encontrar outras formas de comemorar as festas de Lisboa, do Porto, de Braga".

O intente confirmou ainda que vão estar mobilizados efetivos para levar a cabo a sensibilização. "A Polícia de Segurança Pública vai continuar muito presente na rua, vamos aconselhar as pessoas. Nestas novas comemorações deste ano, as pessoas poderão frequentar os estabelecimentos de restauração e bebidas, poderão juntar-se em grupos de amigos que não podem ser superiores a 10 pessoas e não poderá haver aquelas multidões na rua. Vamos estar presentes, vamos atuar para sensibilizar e levar a que as pessoas, de forma livre e autónoma, porque o querem, cumpram as regras", frisou.

Além disso, vai haver também o cuidado em alertar os restaurantes. "Há restrições de horários que têm de ser cumpridas, há um controlo por parte dos operadores que tem de ser feito sobre as medidas de segurança, sobre o permanente controlo da lotação, a higienização das mãos", enumerou Nuno Carocha.

Restrições em Lisboa

  • Todos os arraiais, marchas e desfiles estão proibidos.
  • Todos os estabelecimentos estão proibidos de instalar no espaço público novo mobiliário urbano como cadeiras, mesas e equipamentos de confeção de alimentos, como grelhadores ou fogareiros e está proibida a expansão da área de esplanada.
  • Durante o período em que vigoram estas regras, as lojas de conveniência fecham às 16 horas para só poderem abrir às 8 horas do dia seguinte.
  • venda de bebidas alcoólicas nas lojas das estações de serviço da cidade está proibida a partir das 16 horas e até às 10 horas do dia seguinte.
  • Os cafés, pastelarias e similares também vão ter horário especial. Fecham às 19h00 e só abrem às 8 horas do dia seguinte.
  • Os restaurantes vão ter igualmente restrições no horário de funcionamento. Fecham o mais tardar às zero horas e só podem abrir às 8 horas do dia seguinte.
  • Neste último grupo de estabelecimentos também estão incluídas as Casas de Fado que não vão poder deixar entrar clientes a partir das 23 horas e encerram à meia-noite.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.