“Duas valas comuns foram descobertas hoje no oeste da província de Raqa, onde foram encontrados os cadáveres de dezenas de mártires civis e militares, executados pelo grupo terrorista Daesh (acrónimo árabe do Estado Islâmico) enquanto controlavam a região”, indicou a Sana citada pela agência francesa AFP.

Os corpos foram desenterrados com base em informações fornecidas pela população perto da localidade de Wawi, no oeste da província de Raqa, situada no norte da Síria.

As operações poderão durar “vários dias, devido à vasta área das duas valas comuns”, segundo uma fonte da defesa civil síria.

O grupo Estado Islâmico cometeu múltiplos abusos nos territórios que tomou pela força a partir de 2014, levando a cabo execuções em massa, decapitações e outras atrocidades, escreve a agência francesa AFP.

Em dezembro de 2014, os corpos de 230 pessoas executadas pelo Estado Islâmico foram descobertos numa vala comum na província de Deir Ezzor (leste). Em junho de 2015, os ‘jihadistas’ mataram em três dias mais de 200 civis, incluindo mulheres e crianças, na cidade do norte de Kobane, antes de serem expulsos pelas forças curdas.

Após um grande avanço em 2014 e a proclamação de um califado em vastos territórios na Síria e no Iraque, os ‘jihadistas’ do Estado Islâmico encontram-se atualmente encurralados nos seus últimos redutos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.