Stan é o nome do fóssil deste Tyrannosaurus Rex (T-Rex), descoberto em 1987 perto de Buffalo, nos Estados Unidos, e considerado um dos mais completos do mundo. O fóssil foi batizado com o nome do paleontólogo amador que o descobriu, Stan Sacrison.

Esta terça-feira, num leilão online organizado pela Christie’s, uma das maiores leiloeiras internacionais, o fóssil foi vendido por 31,8 milhões de dólares (aproximadamente 27 milhões de euros).

A estimativa era de que o valor rondasse os oito milhões de dólares (cerca de 6,8 milhões de euros), mas a venda foi fechada nos 27,5 milhões de dólares (mais de 23 milhões de euros), a que se somaram comissões e outras taxas. O comprador não foi identificado e ainda não se sabe qual o destino que o fóssil vai ter.

A venda bateu o recorde anterior, que pertencia a Sue, um outro T-Rex vendido em outubro de 1997 pela leiloeira Sotheby's por 8,4 milhões de dólares (mais de sete milhões de euros) ao Museu de História Natural de Chicago.

Stan tem quatro metros de altura, 12 metros de comprimento e terá pesado entre sete e oito toneladas em vida, de acordo com especialistas. O dinossauro viveu há 67 milhões de anos.

Os paleontólogos do Instituto de Investigação Geológica Black Hills, no estado de Dakota do Sul (EUA), dedicaram mais de 30 mil horas de trabalho para desenterrar o fóssil e reconstruir o esqueleto, composto por 188 ossos.

Stan foi usado em moldes destinados a dezenas de museus pelo mundo, interessados em adquirir uma cópia deste exemplar, que morreu aos 20 anos de idade, segundo os investigadores.

A lei autoriza a venda quando o exemplar é descoberto em terrenos privados, como no caso de Stan.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.