O Supremo aumenta a pena que tinha sido aplicada anteriormente por um tribunal da comunidade autónoma de Navarra e corrige essa sentença, considerando que o caso “não pode constituir um delito de abuso sexual, mas sim um delito de violação”.

Há mais de um ano que os cinco acusados foram postos em liberdade à espera desta sentença final do Supremo.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.