O arguido, que se encontra em prisão preventiva, está acusado de nove crimes de furto, dois dos quais na forma tentada.

Segundo a acusação do Ministério Público (MP), os factos remontam ao período entre 06 de março e 14 de maio deste ano.

De acordo com os investigadores, o arguido assaltou diversos estabelecimentos comerciais e residências em Ovar e Estarreja, distrito de Aveiro, de onde retirou dinheiro, objetos em ouro, relógios e ferramentas, entre outros artigos.

O suspeito foi detido pela GNR em maio, no âmbito de uma investigação de furtos que decorria há cerca de dois meses.

Em 07 de maio, a GNR realizou buscas a duas residências do arguido que culminaram na apreensão de diverso material furtado, que foi entregue aos seus proprietários, bem como utensílios utilizados nos furtos e de produto estupefaciente.

Nessa altura, o suspeito foi apenas constituído arguido, mas em diligências policiais posteriores o mesmo indivíduo foi identificado por ter cometido mais furtos em residência, acabando por ser detido através de mandado.

O arguido foi então presente ao Tribunal de Aveiro, tendo-lhe sido aplicada a medida de coação de prisão preventiva.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.