A Casa Branca começou também hoje a referir-se ao destacamento de tropas russas no leste da Ucrânia como uma “invasão”, depois de inicialmente ter hesitado em usar o termo – uma ‘linha vermelha’ que o Presidente norte-americano, Joe Biden, disse que resultaria na imposição de sanções severas a Moscovo.

Reagindo às sanções indicadas por Berlim, incluindo o bloqueio do gasoduto Nord Stream 2 – que transportaria gás desde a Rússia até à Alemanha - a porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, escreveu na rede social Twitter que se trata de um sinal positivo de sintonia entre os Estados Unidos e os aliados europeus, no combate às atitudes de Moscovo na Ucrânia.

"Estivemos em conversas estreitas com a Alemanha esta manhã e saudamos o seu anúncio. Continuaremos com as nossas próprias medidas hoje", disse Psaki.

As sanções dos Estados Unidos surgem no momento em que a Casa Branca começa a utilizar expressões mais duras contra as decisões do regime do Presidente russo, Vladimir Putin, na crise da Ucrânia, em particular quando anunciou ajuda militar para as autoproclamadas repúblicas separatistas de Donetsk e Lugansk.

“Achamos que isso é, sim, o início de uma invasão, a mais recente invasão da Rússia na Ucrânia”, disse Jon Finer, principal vice-conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.