A polícia confirmou pelo menos oito mortos no ataque de Munique e adiantou que está a investigar uma nona ocorrência. A suspeita é de que se trate de um cúmplice no tiroteio. Esta tarde, um individuo começou a disparar indiscriminadamente no centro comercial Olympia-Einkaufszentrum, no bairro de Moosach. O presidente alemão, Joachim Gauck, disse estar "horrorizado" com o "sangrento ataque".

Está em curso uma grande operação policial. As autoridades suspeitam que se tratem de, pelo menos, três suspeitos e pediu às pessoas para evitarem locais públicos, já que as operações policiais estão em curso. A Sky News deu conta que um dos possíveis suspeitos de suicidou. A informação está ainda por confirmar.

Segundo polícia, há forças especiais no terreno. As autoridades divulgaram também um número de emergência.

A polícia de Munique afirmou que o ataque na cidade está a ser tratado como um atentado terrorista para se ativarem todas as unidades disponíveis, mas os indícios não relacionam, para já, com atos de extremismo islâmico. As autoridades acrescentaram que existe um "alerta terrorista elevado" na cidade.

Uma porta-voz da polícia, citada pela Reuters, confirma que as autoridades "acreditam que há mais do que um suspeito. Os primeiros alertas aconteceram às 18h00, o tiroteio aparentemente começou no McDonald's do centro comercial. Ainda há pessoas dentro do centro comercial", disse ainda. "Testemunhas relatam três pessoas diferentes com armas", indicou a polícia de Munique, citada pela AFP.

Os transportes públicos estão condicionados. As mesquistas em Munique estarão abertas durante a noite e disponíveis para acolher todos aqueles que precisem de abrigo, adianta a BBC. 

Tiroteio em Munique

Segundo o alemão Bild, o suspeito fugiu para o metro depois do tiroteio.

Obama já reagiu ao ataque. “Os nossos corações estão com aqueles que possam ter sido feridos. É ainda uma situação activa. A Alemanha é um dos nossos aliados mais próximos. Portanto, vamos garantir todo o apoio que possam precisar para lidar com estas circunstâncias”, disse o presidente norte-americano. 

"Estou profundamente chocado e triste com o tiroteio em Munique. Os meus pensamentos estão com as vítimas, os seus entes queridos e com toda a Alemanha", escreveu Boris Johnson, actual ministro dos Negócios Estrangeiros do Reino Unido.

A candidata democrata às presidenciais norte-americanas, Hillary Clinton, disse no twitter ques está a "monitorizar a situação horrível de Munique. Estamos ao lado dos nossos amigos na Alemanha, que trabalham para trazer os responsáveis à justiça", escreveu.

"Estou preocupado e a acompanhar a evolução do ataque em Munique. O povo alemão conta com todo o nosso apoio e afecto", publicou Mariano Rajoy, presidente do governo espanhol, no Twitter.

Este ataque acontece depois de, na Baviera, um jovem ter atacado com um machado os passageiros de um comboio. Cinco pessoas ficaram feridas, incluindo quatro turistas chineses de Hong Kong. O ataque, que teve lugar a 18 de julho, foi reivindicado pelo grupo Estado Islâmico, tendo sido o primeiro reconhecido pela organização extremista na Alemanha, embora o Governo alemão não acredite que o grupo tenha patrocinado o mesmo.

A polícia pediu que não se divulgassem imagens que pudessem comprometer a operação, pelo que os vídeos e imagens que partilhados abaixo já têm algumas horas.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.