"O Web Summit é uma montra para divulgar o que o nosso país tem de único, como as atividades ao ar livre, e queremos passar a mensagem de que a 20 minutos de Lisboa se poder fazer surf", disse a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, na conferência sobre turismo da natureza que dá início na Ericeira ao Surf Summit.

Segundo a governante, no motor de pesquisa Google, Portugal foi o destino mais procurado pela palavra surf, da mesma forma que surf é a terceira palavra mais associada a Portugal.

Dados divulgados durante a conferência apontam que 26% dos turistas querem férias ativas e que 65% dos gastos dos turistas de natureza são deixados nos locais por onde passam, existem 10 milhões de surfistas em todo o mundo e 200 mil em Portugal, o que torna o surf numa "atividade emergente com crescimento potencial".

Portugal conta também com vários locais para praticar a modalidade ao longo da costa sobretudo entre Nazaré e a costa alentejana, onde existem 200 tipos de ondas diferentes, um ativo considerado importante para a promoção de Portugal como destino de surf.

Em todo o país, existem já 582 empresas de animação ligadas ao surf.

A Ericeira, única reserva mundial de surf da Europa e o local onde se concentra a maior variedade de ondas, foi escolhida para o Surf Summit, que inaugura o Web Summit, evento tecnológico que decorre entre segunda e quinta-feira em Lisboa.

Ao atrair 200 participantes durante o fim-de-semana, a Ericeira regista uma taxa de ocupação na ordem dos 90 a 100% nas unidades hoteleiras e de 80% nos alojamentos locais, quando nesta época costumam estar a 40%, apontou o presidente da câmara de Mafra, Hélder Sousa Silva.

Para o autarca, o Surf Summit é uma oportunidade "para projetar Ericeira e os seus ativos estratégicos- entre eles o surf- para os quatro cantos do mundo".

A opinião foi também manifestada por Miguel Frasquilho, presidente da Agência para o Investimento e Comércio Externo, que integra a organização da Web Summit: "o Web Summit vai mudar para sempre o país e colocar ainda mais a Ericeira no mapa".

Segundo o responsável, são estimadas receitas diretas para o país na ordem dos 175 milhões de euros com a Web Summit. Sendo que a maior parte dos participantes não conhece Portugal, Miguel Frasquilho "está convencido" que os participantes "vão voltar a Lisboa" e a outros locais do país, como Mafra.

Durante dois dias, o Surf Summit vai deixar receitas acima dos 60 mil euros na economia local, de acordo com a organização da Web Summit, com base no valor pago por cada turista pelo pacote de alojamento, atividades e de refeições.

A Web Summit é uma conferência global de tecnologia, inovação e empreendedorismo que decorrerá este ano em Lisboa (e nos dois anos seguintes, com possibilidade de mais dois anos), onde são aguardados mais de 50.000 participantes, de mais de 165 países, incluindo mais de 20.000 empresas, 7.000 presidentes executivos, 700 investidores e 2.000 jornalistas internacionais.

Entre os oradores, estarão os fundadores e presidentes executivos das maiores empresas de tecnologia, bem como importantes personalidades das áreas de desporto, moda e música.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.