A ideia de Volodymyr Zelensky passa por tentar convencer Xi Jinping a falar com a Rússia, devido às ligações cada vez mais fortes entre a China e Vladimir Putin. Para já, contudo, e apesar de Zelensky ter confirmado ao South China Morning Post que já pediu uma conversa com Xi, o encontro ainda não tem data prevista.

"Gostaria de falar diretamente com ele, tive uma conversa com Xi Jinping há um ano. Agora, desde o início da agressão em larga escala, a 24 de fevereiro, pedimos uma conversa, mas não tivemos nenhuma conversa com a China, embora acredite que isso seria útil", começou por dizer Zelensky, salientando depois que a China e Xi Jinping poderão ter uma palavra muito importante para o fim da guerra na Ucrânia:

"A China é um estado muito poderoso. É uma economia poderosa... Então (ele) pode influenciar política e economicamente a Rússia. Estou confiante, tenho a certeza de que sem o mercado chinês para a Federação Russa, a Rússia sentir-se-ia num isolamento económico completo. Isto é algo que a China pode fazer, limitar o comércio até que a guerra termine.".

Ainda de acordo com o presidente da Ucrânia, a China estará a tentar manter o seu sentimento em relação a esta invasão de forma "equilibrada", mas Zelensky deixou também o alerta. “Por que deveríamos ter um Conselho de Segurança, se qualquer país… ou vários países do mundo, poderiam simplesmente decidir violar as regras militarmente?. E a China é [também] membro permanente do Conselho de Segurança da ONU", revelou em entrevista.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.