Fonte federativa confirmou hoje à Lusa que João Rodrigues, suspenso quatro anos pela União Ciclista Internacional (UCI) por anomalias no passaporte biológico, e outros três anos pela Autoridade Antidopagem de Portugal (ADoP) por “posse de método proibido”, só vê apagados os resultados nas Voltas a Portugal de 2018 e 2021, assim como os obtidos entre 24 de abril e 15 de julho de 2022.

A FPC pediu esclarecimentos à UCI sobre os resultados que deveriam ser retirados ao corredor, uma vez que a informação inscrita na lista de suspensões daquele organismo, hoje atualizada, era dúbia.

Assim, o algarvio de 27 anos, que representava a W52-FC Porto e está envolvido na operação ‘Prova Limpa’, mantém os resultados de maior relevo da sua carreira, nomeadamente o triunfo na Volta a Portugal de 2019 e na Volta ao Algarve de 2021.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.