Como o SAPO24 já tinha noticiado, e o Presidente da FIM já tinha explicado, Miguel Oliveira vai continuar no MotoGP, agora a correr pela equipa dos Estados Unidos da América Trackhouse Racing MotoGP. O português volta a fazer parelha com Raul Fernández, continuando a equipa com motos da marca italiana Aprilia.

Na apresentação, Justin Marks, co-proprietário da Trackhouse, afirmou que "este é um momento espetacular para a nossa equipa. Quando começamos a Trackhouse, tivemos sempre a intenção de ser mais do que uma equipa na NASCAR. Queríamos ser algo especial no desporto motorizado, relevante a nível global, sem barreiras geográficas. Estou muito excitado por trabalhar com a Dorna e com a Aprilia para o próximo ano", começou por dizer Marks.

"Adoro todas as formas de desporto motorizado. Fui até ao Grande Prémio da Áustria de MotoGP, a minha primeira corrida europeia, para ver como era a ação, a interação com o público e fiquei impressionado. Comecei a aprender mais sobre a série pela Dorna, pelos diferente fabricantes, para perceber o modelo de negócios. Entretanto a oportunidade surgiu e quero agradecer à Dorna e a todos na Aprilia", explicou Marks.

Na apresentação, a representar a Dorna esteve Carlos Ezpeleta, que explicou que "introduzir uma nova equipa na classe rainha do MotoGP não é muito comum. Estamos num bom momento no MotoGP, com as novidades introduzidas em 2023. É um projeto que adorámos desde o início. Os EUA são um mercado importante para todos, para a Dorna e também para os fabricantes. A Trackhouse já tinha mostrado as suas credencias na NASCAR, dentro e fora de pista. Estamos entusiasmando com o que podem fazer aqui, dentro e fora da pista", explicou.

O CEO da Aprilia Racing, Massimo Rivola, também presente na apresentação, explicou que era algo que a marca "estava à procura. A minha visão e a visão do Justin Marks são compatíveis. Estamos agora numa luta contra o tempo, pois a 15 de janeiro já tem tudo de ser enviado para Sepang, mas estamos extremamente motivados".

O espaço para a entrada da Trackhouse no MotoGP advém da proibição de competição da Dorna à equipa CrypoData RNF, no mês passado. Apesar de inicialmente terem ameaçado tomar medida legais contra a Dorna, a companhia romena chegou a acordo com o promotor: "A Dorna, o IRTA e a RNF chegaram a um acordo amigável para resolver as suas diferenças que foram conhecidas no final de 2023", pode-se ler no comunicado.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.