“O nosso treinador, Bruno Lage, quando acabou o jogo, dirigiu-se a mim com grande elevação, e disse: ‘presidente, tem o meu lugar à sua disposição, porque entendo que neste momento as coisas não estão boas para o Benfica. Não quer dizer que eu não tenha qualidade ou não tenha capacidade para dar a volta como dei, mas neste momento não há condições para o fazer porque parece que toda a gente quer que eu me vá embora. A partir de amanhã (terça-feira) não serei treinador do Benfica”.

As declarações foram proferidas por Luís Filipe Vieira, presidente do Benfica, após a derrota por 2-0 frente ao Marítimo, em jogo a contar para a 29.ª jornada do campeonato, que aumentou a série negra de resultados dos encarnados.

O dirigente, que não disse se aceitou ou não o pedido do técnico português, salientou que é ele próprio o "único culpado" pelo atual momento das águias, sublinhando que "aqui não há mais culpas".

À "família benfiquista, neste momento demasiado frustrada, dizer que tudo demos para sermos felizes este ano. Não fomos e dizer-vos com algo que tenho sentido: o culpado sou eu, o presidente do Benfica", disse Luís Filipe Vieira, salientando as conquistas da sua direção que conseguiu do bicampeonato ao tetracampeonato".

"Aos benfiquistas, dizer-lhes mais uma vez: uma derrota, não é o desespero total de ninguém".

Nos últimos 13 jogos, o Benfica só venceu dois. Em 116 anos de história, nunca tinha estado tanto tempo sem ganhar dentro de portas. Pela primeira vez na história dos encarnados, o clube chegou aos cinco jogos consecutivos sem vencer no estádio da Luz. O último triunfo da equipa de Bruno Lage em casa foi a 4 de fevereiro, com um 3-2 sobre o Famalicão, para a Taça de Portugal.

Desde a retoma do campeonato, após a interrupção devido à pandemia, os encarnados perderam dois jogos, empataram outros dois e venceram apenas um. Apesar da sequência de maus resultados e da saída anunciada na imprensa, na conferência de imprensa de antevisão à deslocação ao estádio dos Barreiros, Lage disse ter como planos “disputar o campeonato e a final da Taça de Portugal”, garantindo que não se sentia um treinador a prazo na Luz.

Bruno Lage, de 44 anos, assumiu o comando da equipa principal do Benfica em janeiro de 2019, substituindo Rui Vitória.

Na estreia como treinador na I Liga, o setubalense levou os ‘encarnados’ à conquista do título da I Liga, depois de ter pegado na equipa no terceiro lugar, a sete pontos do então líder FC Porto. Viria, já na presente época, a vencer a Supertaça Cândido de Oliveira.

Em dezembro do ano passado, Lage tinha renovado contrato com o Benfica até 2024.

Mauricio Pochettino, antigo treinador do Tottenham,  e o português Marco Silva têm sido os nomes apontados para assumir o comando da equipa da Luz.

A cinco jornadas do fim do campeonato, o Benfica está a três pontos do FC Porto, líder na tabela classificativa, mas à condição, uma vez que os dragões ainda jogam esta segunda-feira com o Paços de Ferreira.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.