O Manchster United informou esta terça-feira, em comunicado, que Cristiano Ronaldo terminou a ligação ao clube, numa decisão tomada "por múto acordo" e com "efeito imediato".

No breve texto, o clube inglês agredece a Ronaldo, que se encontra no Qatar com a seleção portuguesa para disputar o Campeonato do Mundo, pelas duas passagens por Old Trafford em que fez 145 golos em 346 jogos.

"Toda as pessoas no Manchester United continuam focadas em continuar a desenvolver o progresso da equipa sob o comand de Erik ten Hag e a trabalhar para conquistar sucesso nos relvados", conclui o clube.

A decisão acontece poucos dias depois da transmissão da entrevista do português ao inglês Piers Morgan em que afirmou sentir-se “traído” pelo clube inglês.

“Não sei se devia dizer isto, mas não me importa. As pessoas deviam ouvir a verdade: sim, senti-me traído, e senti que algumas pessoas não me queriam cá não só esta época, mas também na última”, declarou o avançado.

Segundo o avançado de 37 anos, “não é só o treinador”, Erik ten Hag, a não querer o jogador no plantel, mas também “dois ou três no clube”, clarificando, depois, que se referia a administradores, reforçando que se sentiu “traído”.

O avançado ficou de fora dos últimos dois jogos dos ‘red devils’, e embarcou hoje para o Qatar com a seleção portuguesa, que ‘capitaneia’, para o Mundial2022.

Ao todo, soma esta época 16 jogos e três golos pelo clube inglês, depois de em 2021/22, época de regresso a Manchester, ter conseguido 24 golos em 38 encontros.

Na longa entrevista, declarou não ter respeito pelo treinador, por considerar que este não o respeita.

Esta tem sido uma época ‘problemática’ para o ‘astro’ madeirense, que regressou ao United, em que jogou primeiro entre 2003 e 2009, após passagens no Real Madrid (2009-2018) e na Juventus (2018-2021), tendo começado a carreira no Sporting.

No verão, a sua possível saída do clube foi o principal tema de discussão do mercado de transferências e, quando não se concretizou, prometeu que daria uma entrevista para esclarecer o assunto.

Desde então, a sua atuação nos relvados tem sido intermitente, entre a titularidade, o banco de suplentes e a ausência dos convocados, como quando foi afastado dos treinos da primeira equipa por abandonar um jogo ainda a decorrer, tendo-se recusado a ser suplente utilizado.

Com 191 jogos pela seleção principal de Portugal, e 117 golos, junta-lhes 145 tentos pelo Manchester United, em 346 partidas, 451 pelo Real Madrid, em ‘apenas’ 438 encontros, e cinco pelo Sporting, em 31 jogos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.