Hussein Barjawi, de 33 anos, considerado o ‘cérebro’ da burla, perpetrada durante o verão de 2016, foi condenado a três anos de prisão, enquanto a cúmplice Silvija Jansson, de 38, foi sentenciada a ano e meio de prisão.

A dupla conseguiu piratear a correspondência eletrónica do Shanghai SIPG, levando a um depósito de 371.420 euros por parte do clube chinês, que nunca chegou a conseguir levantar porque o banco suspeitou da proveniência do dinheiro e alertou as autoridades.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.