Os 20 pilotos em prova iniciam a primeira sessão de treinos livres a partir das 11:30, disputando-se a segunda sessão a partir das 15:00.

O britânico Lewis Hamilton, em Mercedes, chega à prova portuguesa na liderança da classificação, com 44 pontos, mais um do que o holandês Max Verstappen (Red Bull).

Os dois pilotos somam uma vitória e um segundo lugar em cada uma das rondas anteriores, mas o facto de ter feito a volta mais rápida do GP Emília Romagna (Itália), há 15 dias, deu ao atual campeão mundial um ponto extra no campeonato, que lhe vale a liderança.

Esta será a 18.ª edição do GP de Portugal, que se disputa no quarto circuito diferente, depois da Boavista (1958 e 1960), Monsanto (1959) e Estoril (de 1984 a 1996).

Em 2020, depois de uma ausência de 24 anos, o AIA tornou-se no quarto palco diferente a acolher o Grande Prémio de Portugal de Fórmula 1.

Desta vez, a pandemia de covid-19 obrigou a uma reformulação do calendário e Portugal entrou como alternativa, que ganhou força devido às opiniões favoráveis dos pilotos.

Entre os marcos que ligaram o Grande Prémio de Portugal à história da modalidade, destaque para o ano de 1985, em que se assistiu ao primeiro dos 41 triunfos de Ayrton Senna (Lotus) no campeonato ou a 92.ª vitória de Lewis Hamilton na carreira, em 2020, que tornou o britânico no mais vitorioso da história da modalidade.

O Estoril foi também o palco da última vitória de Nigel Mansel (Williams) na Fórmula 1.

O francês Alain Prost e o britânico Nigel Mansel são os pilotos com mais triunfos na prova portuguesa, três, seguidos de Stirling Moss, com dois.

Jack Brabham, Ayrton Senna, o austríaco Gerhard Berger, o italiano Riccardo Patrese, Michael Schumacher, Damon Hill, Jacques Villeneuve e os britânicos David Colthard e Lewis Hamilton foram os restantes vencedores em Portugal.

Apesar de quatro pilotos portugueses terem passado pela Fórmula 1, apenas dois disputaram o Grande Prémio de Portugal: Nicha Cabral, em 1959, ano em que terminou na 10.ª posição, e 1960 (abandono por acidente) e Pedro Lamy, na década de 1990.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.