Os números não mentem. Novembro é um mês negro para o Futebol Clube do Porto. Em seis jogos disputados, envolvendo três competições distintas – Liga dos Campeões, Liga portuguesa e Taça de Portugal -, apenas venceu (1-0) uma partida, frente ao FC Bruge a contar para a 4ª jornada do Grupo G da Liga dos Campeões, no segundo dia do mês. Os portistas somam quatro empates consecutivos, três deles sem marcar qualquer golo, o último dos quais ontem à noite frente ao Belenenses, no Restelo, para a 11.ª jornada da Liga NOS.

Antes, foram eliminados da Taça de Portugal, perdendo em Chaves na marcação das grandes penalidades (3-2) após o nulo verificado no tempo regulamentar e prolongamento. Na Liga dos Campeões, depois do encontro sem golos em Copenhaga, apesar de terem dois pontos de vantagem em relação aos dinamarqueses, adiaram para a última jornada a decisão do apuramento para os oitavos-de-final da liga milionária.

São 300 minutos sem marcar um golo: 120 minutos em Chaves, 90 minutos em Copenhaga e 90 minutos em Belém.

Porto desliga-se de quem segue na frente do campeonato

A equipa de Nuno Espírito Santo não soma três pontos para a Liga portuguesa desde 22 de outubro (vitória caseira frente ao Arouca, por 3-0). Seguiram-se dois empates na a zero na qualidade de visitante, em Setúbal e Belém, e de visitado (1-1) diante o Benfica.

Ou seja, recuando ao jogo de Setúbal, a 29 de outubro, antevéspera de Halloween, na principal competição no nosso país, os azuis e brancos, em três jogos, só por uma vez fizeram o gosto ao pé, precisamente no clássico no Dragão, com o golo de Diogo Jota, ao minuto 50´ frente ao Benfica.

De lá para cá, os portistas realizaram três jogos para as três competições em que estavam envolvidos e o resultado não poderia ser mais desolador: zero golos em mais de 300 minutos, 5 horas em branco durante o tempo regulamentar de jogo (marcaram dois golos na marcação de grandes penalidades frente ao Desportivo de Chaves).

Um dia depois das celebrações do Black Friday, com o empate no Restelo, o Futebol Clube do Porto (que desceu para o 3 º lugar com 22 pontos) viu, para já, o Sporting vencer o Boavista (1-0) no Bessa e isolar-se no segundo lugar da Liga NOS (24 pontos).

Hoje pode cair para o quinto posto, em caso de vitória do Braga (recebe o Feirense) e do Guimarães (desloca-se a Tondela), ambos com 20 pontos e ainda ver aumentar o fosso para o líder Benfica (26 pontos e menos um jogo) para 7 pontos em caso de vitória das águias na receção ao Moreirense.

Por último, e em jeito de balanço numérico, o FC Porto, em seis jogos, durante quase 30 dias, marcou apenas dois golos e sofreu um.

Números que condizem pouco com o estatuto de segundo melhor ataque (19 golos) e terceiro melhor marcador da Liga, André Silva, com 7 golos, os mesmos que o leão Bas Dost. Salva-se o facto de ser a melhor defesa, com 5 golos sofridos, os mesmos que as águias.

Pelo menos estas será uma realidade antes da entrada em campo de Guimarães (19 golos marcados) e Benfica (25 golos marcados e cinco sofridos).

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.