Vítor Oliveira, treinador com uma longa carreira no futebol português, morreu hoje, aos 67 anos, depois de se sentir indisposto enquanto caminhava na zona de Matosinhos, confirmou à agência Lusa fonte próxima da família.

O Paços de Ferreira e o Portimonense, clubes que orientou e os quais levou da segunda à primeira divisão, já lançaram as suas notas de pesar nas redes sociais.

O Sporting de Braga lamentou também a morte do treinador Vítor Oliveira, recordando o seu passado como futebolista e treinador dos bracarenses. Vítor Oliveira foi jogador do Sporting de Braga em 1981/82 e 1982/83 e também técnico do clube bracarense em 1998/99.

O Sporting de Braga endereça "sentidas condolências à família e amigos de Vítor Oliveira".

O Sporting também deixou uma nota nas redes sociais.

"O Sporting Clube de Portugal manifesta o seu pesar pela morte de Vítor Oliveira, ex-jogador e treinador de futebol, que faleceu este sábado aos 67 anos. Aos familiares e amigos, o clube endereça as mais sentidas condolências", observou o clube lisboeta.

Do lado do Benfica, o presidente dos encarnados, Luís Filipe Vieira, assinou também uma mensagem. “Em nome do Sport Lisboa e Benfica e em meu nome pessoal, manifesto o mais profundo pesar e tristeza pelo trágico e inesperado falecimento de Vítor Oliveira. Ficará para sempre na nossa memória o excelente profissionalismo de um dos treinadores que mais se distinguiram nos últimos anos no futebol português”, refere a nota.

Vieira destacou também o “caráter” de Vitor Oliveira, endereçando condolências à família e amigos do treinador: “Vítor Oliveira ficará para sempre na história do futebol português”, reforçou.

FC Porto lamenta a morte de "um dos grandes do futebol português".

"Vítor Oliveira era um dos grandes do futebol português nas últimas décadas. Neste momento difícil, o FC Porto envia as mais sentidas condolências à sua família e amigos. Descanse em paz", pode ler-se nas redes sociais dos ‘dragões’.

A Liga Portugal já fez saber que, "numa semana marcada pelo luto de Reinaldo Teles, José Bastos e Maradona" presta também  "homenagem ao treinador Vítor Oliveira, que faleceu hoje, aos 67 anos, e que ficará para sempre na história do Futebol Profissional". A homenagem será prestada com "com um minuto de silêncio.

O presidente da Liga Portugal, Pedro Proença, também deixou as suas condolências através da sua página oficial de Facebook. "Esta é uma notícia que não queremos receber", escreveu, lembrando que o técnico não era apenas o campeão das subidas, mas também "dos treinos, da liderança e do futebol".

“O Grupo Desportivo de Chaves e a respetiva SAD manifestam o seu profundo pesar pela morte inesperada do Mister Vítor Oliveira, vítima de doença súbita. Deixamos um abraço de conforto à família e aos amigos do Vítor Oliveira. Obrigado, ‘Mister’”, pode ler-se na nota publicada na rede social Facebook.

O comunicado lembra ainda a época 2015/16, em que Vítor Oliveira orientou o emblema transmontano, e na qual assegurou o regresso do clube ao principal patamar do futebol português, 17 anos depois.

O Rio Ave, da I Liga portuguesa de futebol, manifestou, hoje, "profunda consternação e choque", com a morte do treinador Vítor Oliveira, que orientou o clube vila-condense entre os anos de 2000 e 2002.

"Profunda consternação e choque com a notícia do falecimento de Vítor Oliveira, treinador e personalidade ímpar na história do futebol nacional, que nos toca, também, de forma muito particular, pois Vítor Oliveira foi treinador do Rio Ave, que orientou em 52 jogos, deixando o seu legado nos 81 anos do clube", pode ler-se numa nota publicada no 'site' do Rio Ave.

O presidente do Leixões, Jorge Moreira, considerou que a morte de Vítor Oliveira é "uma perda irreparável" e um “momento de profunda tristeza" para o clube, no dia em que faz 113 anos e previa homenagear o treinador.

"É um misto de emoções fortes, um dia especial para o Leixões, que completa mais um aniversário e o Vítor Oliveira iria ser homenageado na gala comemorativa que vai decorrer num ambiente digital devido às condicionantes da pandemia" de convid-19, salientou dirigente leixonense, em declarações à agência Lusa.

Por seu turno, Vítor Oliveira “vai ficar sempre inscrito na história do Arouca como o treinador que levou o clube à I Liga” portuguesa de futebol, afirmou hoje à agência Lusa o diretor desportivo do Arouca, Joel Pinho

“Estou sem palavras, foi uma das pessoas que marcou o Arouca e que vai ficar sempre inscrito na história do Arouca como o treinador que levou o Arouca à I Liga. À parte do futebol, foi uma das melhores pessoas, foi um bom mentor, foi ele que me lançou como diretor desportivo. Estamos todos muito tristes pelo sucedido”, lamentou o diretor desportivo do atual quinto classificado da II Liga.

Em comunicado no sítio oficial do clube na Internet, o emblema recordou “a carreira longa e cheia de vitórias” de Vítor Oliveira e sublinhou o “orgulho” por “fazer parte do leque de 11 clubes que o ‘rei das subidas’ levou ao topo do futebol português”.

Belenenses diz que treinador "deixa inúmeros amigos".

“Os órgãos sociais do Clube de Futebol ‘Os Belenenses’ tomaram conhecimento do falecimento, aos 67 anos, do técnico Vítor Oliveira, treinador que esteve ao serviço do Belenenses, onde deixa inúmeros amigos, nas temporadas 1998/99 e 1999/00, tendo orientado os ‘azuis’ da Cruz de Cristo em 56 encontros”, observou o clube lisboeta, em nota divulgada no sítio oficial na Internet.

Em 1998/99, Vítor Oliveira substituiu Manuel Cajuda no comando técnico do clube do Restelo a partir da 14.ª jornada e ascendeu à elite do futebol nacional, na altura pela quarta vez na carreira, colocando o Belenenses no 12.º lugar da I Liga no ano seguinte.

Famalicão lembra “figura mítica do futebol português".

"O Famalicão vem por este meio manifestar profundo pesar pela morte de Vítor Oliveira, figura mítica do futebol português e que deixou a sua marca no nosso clube. Vítor Oliveira representou o Famalicão entre as temporadas 1976/1977 e 1978/1979, tendo ajudado o clube a subir à I Divisão em 1977/1978 e sido o capitão de equipa na temporada seguinte, na qual o Famalicão disputou a I Divisão", destacou o clube, no sítio oficial na Internet.

O Famalicão salientou ainda a passagem do treinador pelo clube.

"Da passagem de Vítor Oliveira pelo Famalicão destaca-se ainda o facto de ter acumulado as funções de treinador e jogador durante dois jogos, durante a temporada 1978/1979. À família enlutada e aos amigos, o Famalicão endereça as mais sentidas condolências", pode ler-se.

Sporting de Espinho despede-se com um “até sempre”.

“Faz parte da história do Sporting de Espinho. Representou o nosso clube como jogador entre 1979 e 1981, na 1.ª Divisão. Distinguiu-se depois como treinador, o ‘rei das subidas’, sendo uma das figuras mais marcantes do futebol português”, escreveu o clube de Espinho, atualmente no Campeonato de Portugal.

O Sporting de Espinho, que conta 11 presenças no principal escalão nacional, a última das quais em 1996/97, ilustrou a mensagem com uma fotografia de Vítor Oliveira, “de tigre ao peito, entre Canavarro e Coelho, no velho Campo da Avenida”.

O então médio Vítor Oliveira defendeu as cores do Sporting de Espinho nas temporadas de 1979/80 e 1980/81, quando o clube terminou os campeonatos na sétima - a melhor classificação de sempre - e nona posições, respetivamente.

Gil Vicente salienta contributo para afirmação do clube.

"É com grande tristeza que nos despedimos do ‘mister' Vítor Oliveira. O treinador português deixa um legado sem igual e não podemos deixar de recordar os anos em que foi treinador do Gil Vicente, em especial a época transata, e o quão contribuiu para que o Gil Vicente pudesse ser o clube que é hoje. Até sempre, ‘mister'", lê-se na mensagem publicada pelo clube de Barcelos na rede social Facebook, com uma fotografia a preto e branco do antigo técnico.

O ex-treinador e jogador sentiu-se hoje indisposto enquanto caminhava na zona de Matosinhos, concelho de onde é natural, foi assistido no local e transportado para o Hospital Pedro Hispano, onde acabou por morrer, confirmou à agência Lusa fonte próxima da família.

Sem clube na presente temporada, Vítor Oliveira treinou o Gil Vicente em 2019/20, época de regresso dos ‘galos' à elite do futebol nacional, concluída num ‘tranquilo' 10.º lugar, depois de já ter orientado os homens de Barcelos entre 1992 e 1995 e entre 2002 e 2003.

O presidente da Federação Portuguesa de Futebol, Fernando Gomes, também deixou uma mensagem.

"Foi com grande consternação que tomei conhecimento da morte completamente inesperada de Vítor Oliveira, uma das personalidades mais carismáticas do futebol nacional e uma pessoa com quem sempre tive uma relação de enorme respeito, admiração e afabilidade", começa a nota.

"Numa carreira longa e cheia de vitórias, foi sempre, pelo seu enorme caráter, cultura desportiva e exigência, uma referência de topo do futebol português. A sua ligação aos jogadores, colegas treinadores, staff, dirigentes e clubes por onde passou - mais de quatro décadas ao serviço de quase vinte emblemas -  falam mais alto do que quaisquer palavras que aqui possa deixar", continua o texto.

"Sublinho apenas que Vítor Oliveira fará muita falta ao futebol nacional que, por sua vez, dele guardará sempre a imagem de um enorme vencedor. À família enlutada, nesta hora tão difícil, envio as minhas mais sentidas condolências", termina o dirigente.

Extra-futebol, a presidente da Câmara de Matosinhos lembrou o “filho da terra”.  Endereçando as condolências a família e "toda a comunidade que acompanhou o percurso" do ex-jogador e técnico, Luísa Salgueiro lembrou a infância "passada a jogar futebol na praia" que o levou ao Leixões, clube daquela cidade do distrito do Porto.

A promoção dos leixonenses, em 2007, é um dos feitos elencados pela autarca, que lhe elogia "a paixão e talento", bem como as 11 subidas de divisão com equipas da II Liga, em 18 participações.

"Por este percurso profissional impressionante, a Câmara de Matosinhos, no âmbito do primeiro Congresso do Senhor de Matosinhos, decidiu atribuir-lhe a medalha de valor desportivo, no ano passado", lembrou, numa publicação na rede social Facebook.

 Fernando Santos lamentou hoje a morte do “amigo” Vítor Oliveira, garantindo que vai sentir muito a falta das “conversas e convívios” entre os dois.

“Partiu um dos meus companheiros, seguramente um dos melhores amigos que alguma vez fiz. Começámos juntos no futebol e seguimos juntos na vida. Vou sentir, já sinto, muito a tua falta nos nossos almoços, conversas e convívio”, disse Fernando Santos, citado no sítio oficial da Federação Portuguesa de Futebol.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.