O técnico dos ‘dragões’ defendeu, em conferência de imprensa, que o arranque menos bom dos portistas no campeonato não terá qualquer tipo de influência no futuro.

“Cada jogo tem a sua história e aquilo que foi o passado recente das equipas não interfere nada. Queremos dar continuidade ao que temos feito. Temos de olhar e perceber que adversário teremos pela frente, trabalhar nesse sentido, preocupados com a nossa equipa, mas olhando para o potencial do Portimonense. É assim que trabalhamos. Seja o Portimonense ou outra equipa qualquer”, afirmou.

Sérgio Conceição confidenciou ainda que, além dos lesionados Pepe, Marega e Romário Baró, o boletim clínico conta ainda com outra ‘dor de cabeça’ para o treinador, já que Zé Luís sofreu uma entorse num treino e esta semana fez trabalho de ginásio.

“O Zé Luís também está em dúvida. Vou levá-los ao Algarve. O Zé Luís teve uma entorse, fez só trabalho de ginásio, vamos ver a situação dos jogadores amanhã [domingo] e a possibilidade de utilizá-los ou não. Vamos ter seis jogos em 19 dias, temos de ter cuidado com isso, mas o jogo mais importante é o de amanhã. Vamos ver a evolução e depois decidimos”, revelou ainda.

O treinador da equipa ‘azul e branca’ foi ainda questionado sobre a situação de Aboubakar e Saravia, visto que não têm conseguido ser opção.

De acordo com Sérgio Conceição, o avançado camaronês está a trabalhar para voltar à melhor forma e o lateral argentino vai evoluindo na adaptação a uma nova realidade, depois de ter sido contratado pelo FC Porto no início do verão.

“A condição física de Aboubakar, obviamente, não é a melhor, depois de uma paragem de sete meses, é normal. Mas está a tentar fazer de tudo para melhorar e nós, o FC Porto, estamos a fazer de tudo para que, o mais rapidamente possível, tenhamos o antigo Aboubakar em termos físicos. Depois de sete meses de paragem, não é fácil. É normal fazer a travessia no deserto até voltar aos níveis físicos que tinha. É uma questão de tempo”, disse.

Em relação a Saravia, afirmou que a paragem das seleções deu para fazer “trabalho específico” e adiantou que a “adaptação começa a ser notada à medida que o tempo vai passando”.

Sérgio Conceição comentou ainda as ‘chicotadas’ nos clubes da I Liga ao cabo de quatro jornadas disputadas. Filipe Rocha deixou o Paços de Ferreira, Silas o Belenenses e Marcel Keizer o Sporting. Em tom de brincadeira, o treinador do FC Porto aproveitou para agradecer a Pinto da Costa.

“O que vem logo à cabeça é agradecer ao meu presidente. Sinceramente, não gosto de ver colegas meus, com tão pouco tempo de trabalho, a saírem. Desses, só o Silas vinha de outras épocas. Sabem que, quando um treinador entra, fala-se muito do projeto. Mas o projeto são os resultados e sem estes poucos sobrevivem. Alguém tem que pagar a fatura. E, a maior parte das vezes, são os treinadores”, referiu.

O FC Porto, terceiro classificado da I Liga joga no domingo, às 18:00 horas, no Algarve, frente ao Portimonense, que ocupa o 13.º lugar, numa partida relativa à quinta jornada.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.