Não há nada como o último dia de qualquer janela de transferências. É certo que os adeptos dos clubes a quem as coisas correm bem têm pouco para se preocupar, mas os apoiantes de equipas que começaram mal a época veem este último dia como uma espécie raspadinha comprada na papelaria do bairro: ninguém acredita que possa sair alguma coisa de jeito, mas nem por isso se deixa de jogar.

Claro que posso engolir estas palavras daqui a uns dias, quando Jesé for o melhor marcador do campeonato ou Lucas Piazón confirmar no Rio Ave aquilo que sempre se esperou dele. Mas quantos de nós acreditam verdadeiramente nisso? É certo que a pressão às vezes faz com que alguns de nós trabalhem melhor, mas o ditado que diz que “a pressa é inimiga da perfeição” não existe por acaso.

Se pensarmos no caso do Sporting CP, verificamos que este último dia viu sair os dois jogadores que compunham o lado direito leonino (Thierry Correia e Raphinha) por valores consideráveis – no total, os leões encaixaram 40 milhões de euros nestes últimos dias, se aos 12 milhões pagos pelo Valência pelo jovem defesa-direito leonino somarmos os 21 milhões que o Rennes desembolsou por Raphinha e os 7 milhões pagos pelo Eintracht Frankfurt por Bas Dost, o maior goleador que passou por Alvalade nos últimos anos. A isto há ainda a somar a saída de Diaby, jogador que, não sendo propriamente amado pelas bancadas sportinguistas, não parecia desgostar ao seu timoneiro, Marcel Keizer, que não raras vezes o utilizava como uma espécie de joker vindo do banco.

Com tudo isto o Sporting CP perdeu, nestes últimos dias, 4 dos jogadores mais importantes/utilizados do plantel, tendo para os seus lugares recrutado Fernando (extremo brasileiro que chega do Shakhtar Donetsk por empréstimo) e Jesé (avançado espanhol que chega, também por empréstimo, do Paris Saint-Germain) e Bolasie (extremo internacional congolês que chega por empréstimo do Everton). E se é certo que a venda de Thierry confirma a aposta do clube leonino em Rosier, e que a chegada de Yannick Bolasie vem colmatar a saída de Raphinha e mostrar que a aposta do clube no prodígio equatoriano Gonzalo Plata e em Rafael Camacho (para além do já referido Fernando) estão mais voltadas para o futuro do que para o presente, a contratação de Jesé parece menos óbvia.

O jogador espanhol, para além de tardar em confirmar o potencial que levou o Paris Saint-Germain a investir 25 milhões de euros na sua contratação ao Real Madrid, não é propriamente um goleador, somando 26 golos em 157 jogos desde que deixou a formação secundária dos merengues e passou pela equipa principal, Paris Saint-Germain, Stoke City, Las Palmas e Bétis de Sevilha. Se estes números chegam (ou não) para compensar a saída de Bas Dost (e acautelar eventuais impedimentos de Luiz Phellype), o futuro o dirá. Mas num primeiro olhar, a frio, não se pode dizer que os leões saiam mais forte deste último dia de mercado, ainda que tenha conseguido manter Bruno Fernandes, o jogador sobre o qual Cristiano Ronaldo afirmou não perceber porque não saiu ainda do Sporting CP.

Do outro lado da Segunda Circular, o SL Benfica manteve-se relativamente calmo, confirmando apenas a já propalada contratação do defesa-central brasileiro Morato. Com apenas 18 anos, o jogador formado no São Paulo chega à Luz para integrar a equipa B, num movimento que, à partida, foi feito mais a pensar no futuro do que propriamente no presente.

No Minho, o Sporting de Braga fez regressar Wallace, defesa-central brasileiro que chega cedido pela Lazio, e recebe ainda por empréstimo o médio nigeriano Uche Agbo, via Standard Liège. O seu "vizinho" Vitória de Guimarães, por seu lado, ao passo que o Vitória de Guimarães contratou Marcus Edwards (jovem inglês de 20 anos que chegou a ser apelidado de mini-Messi por Pochettino) ao Tottenham.

Ainda em Portugal, que se reforçou com uma “eterna-promessa-adiada” foi o Rio Ave, conseguindo o empréstimo do brasileiro Lucas Piazón junto do Chelsea. O jogador de 25 anos, que já passou por Inglaterra, Holanda, Alemanha, Espanha e Itália, chega para o ataque do conjunto de Carlos Carvalhal, onde já se encontra o fenómeno iraniano Mehdi Taremi, Carlos Mané ou Bruno Moreira, um dos melhores marcadores portugueses do nosso campeonato nos últimos anos (apontou 18 golos pelo Paços de Ferreira na temporada de 2015/2016).

Já lá fora, o principal agitador parece ter sido o Paris Saint-Germain. Para além de se ter tornado na capital mundial dos guarda-redes neste último dia de mercado (contratou Keylor Navas ao Real Madrid em definitivo, viu chegar Sergio Rico do Sevilha por empréstimo e, por sua vez, emprestou Alphonse Areola ao conjunto merengue), contratou ainda Mauro Icardi, avançado argentino e figura maior do Inter de Milão nos últimos anos, fruto dos 124 golos marcados em 219 jogos ao serviço dos nerazzurri. O jogador chega a Paris por empréstimo dos milaneses, com uma opção de compra no final da época que, diz-se, rondará os 65 milhões de euros. Um ataque que conta com jogadores como Icardi, Cavani, Mbappé e, ao que tudo indica, Neymar, impõe respeito a qualquer equipa. Resta saber se é suficiente para conseguir singrar na Europa, o principal objetivo dos parisienses nas últimas épocas face ao “passeio” que têm sido as competições internas.

Em Itália, a Roma de Paulo Fonseca garantiu dois nomes de peso: Kalinic, o jogador croata que abandonou o último Mundial a meio de forma pouco clara, falhando a final da competição, e Mkhitaryan, o mago arménio que é mais conhecido que as família Kardashian no seu país natal. Ainda na Serie A, a Fiorentina foi outro dos clubes mais animados neste último dia, vendo chegar o avançado brasileiro Pedro (que chegou a ser noticiado como sendo alvo do FC Porto) por 14 milhões de euros e o extremo argelino Rachid Ghezzal (por empréstimo do Leicester). O início do dia viu ainda Fernando Llorente chegar ao Nápoles e o AC Milan de Rafael Leão recrutar Ante Rebic, avançado croata do Eintracht Frankfurt que fez o caminho inverso de André Silva, que se junta ao conjunto alemão por empréstimo nos próximos dois anos. Depois de jogar em Milão e em Sevilha, o avançado português muda-se par a Alemanha para fazer companhia a Gonçalo Paciência (em grande forma neste início de época) e a Bas Dost no ataque do conjunto de Frankfurt.

Na Ucrânia, não é certo que Luís Castro sinta muito a saída de Fernando para o Sporting CP: o Shakhtar Donetsk contratou Yevhen Konoplyanka, um dos mais talentosos jogadores ucranianos dos últimos anos, que já passou pelo Sevilha e pelo Schalke 04.

Já em Espanha, o dia foi relativamente calmo, muito por culpa da não evolução das novelas “Bruno Fernandes para o Real Madrid” e “Neymar para o Barcelona/Real Madrid”. O luso-francês Kevin Rodrigues foi emprestado pela Real Sociedad ao Leganés, o hispano-brasileiro Rafinha renovou com o Barcelona antes de rumar a Vigo por empréstimo e Chicharito reforçou as opções de Julen Lopetegui no Sevilha.

Nas restantes geografias, destaque ainda para a Turquia, que para além de ter recebido Diaby (emprestado pelo Sporting CP ao Besiktas), viu ainda chegar Luiz Gustavo ao Fenerbahce (o que representou uma perda importante para o Marselha de André Vilas-Boas) e também para a Rússia, onde Manuel Fernandes vai prosseguir a carreira. Terminado o contrato com o Lokomotiv de Moscovo, “Manelélé” assinou pelo Krasnodar, carrasco dos dragões na edição deste ano da Liga dos Campeões.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.