Verstappen, que lidera a classificação de pilotos, com 226,5 pontos, mais cinco do que Hamilton, foi considerado responsável pelo acidente com o sete vezes campeão do mundo, durante o Grande Prémio de Itália, em Monza.

O holandês vai cumprir esta penalização no Grande Prémio da Rússia, em Sochi, onde vai ser disputada a próxima corrida, a 15.ª do Mundial.

Depois de ouvidos os dois pilotos, representantes das equipas e revisto o vídeo do acidente, os comissários entenderam que Verstappen foi “o principal responsável” pelo acidente, que aconteceu na volta 26 do Grande Prémio de Itália, vencido pelo australiano Daniel Ricciardo (McLaren).

Na opinião dos comissários, a manobra de ultrapassagem que Verstappen estava a tentar fazer a Hamilton “foi tentada demasiado tarde para o piloto do Carro 33 [Verstappen] ter o direito de espaço de corrida”, lê-se no comunicado.

Os comissários entendem que, “em momento algum”, Verstappen esteve com a posição ganha, estando apenas “atrás da posição do volante” do carro de Hamilton.

“Apesar de o carro 44 [Hamilton] poder ter-se afastado mais do limite da curva para evitar o incidente, os comissários determinaram que a sua posição era razoável e, consequentemente, consideraram que o piloto do Carro 33 foi o principal responsável do incidente”, lê-se ainda no comunicado da Federação Internacional do Automóvel.

Além da perda de três lugares na grelha na próxima corrida, em Sochi, Verstappen foi sancionado, ainda, com a perda de dois pontos na sua superlicença, os primeiros nos últimos 12 meses.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.