O veterano italiano, de 38 anos e sete títulos mundiais na categoria rainha, assumiu a liderança na antepenúltima volta, mas cometeu dois erros fatais na última: o primeiro permitiu a Viñales retomar o comando e o segundo, na tentativa de se chegar ao espanhol, deixou-o por terra e significou o abandono.

No circuito de Le Mans, o público da casa fez a festa com o segundo lugar do francês Johann Zarco, que conseguiu a sua primeira presença no pódio em MotoGP, enquanto o espanhol Dani Pedrosa (Honda) completou as 26 voltas no terceiro lugar.

Aos 22 anos, Viñales continua a assumir como candidato ao título e passou a comandar o Mundial com 85 pontos, contra 68 de Pedrosa e 62 de Rossi, que perdeu dois lugares de uma vez.

“Eu sabia que teria uma oportunidade de ultrapassar Rossi nas duas últimas voltas e estava preparado”, afirmou o catalão, que somou a sua quarta vitória em MotoGP, terceira esta época. “É a minha vitória mais importante, porque me relança completamente o para o campeonato, após duas corridas fracassadas”, acrescentou.

As perdas para Rossi só não foram piores porque o espanhol Marc Márquez (Honda) também abandonou e ficou na quarta posição, com 58 pontos, somente mais três do que Johann Zarco.

Em Moto2, numa corrida ganha pelo italiano Franco Morbidelli (Kalex), que reforçou o comando, o português Miguel Oliveira (KTM) ficou no 17.º lugar, a sua pior classificação na segunda temporada na categoria intermédia, na qual já subiu por duas vezes ao pódio.

Morbidelli, que somou a quarta vitória do ano, dominou a prova do princípio ao fim, batendo o seu compatriota Francesco Bagnaia (Kalex), que terminou em segundo, e o suíço Thomas Luthi (Kalex), que tinha largado da ‘pole’.

Morbidelli passou a somar a 100 pontos na classificação do Mundial, mais 20 do que Luthi, ao passo que o espanhol Alex Marquez, quarto em Le Mans, ‘roubou’ o terceiro lugar a Miguel Oliveira, passando a ter 62 pontos, mais três do que o português.

O espanhol Joan Mir (Honda) obteve o seu terceiro triunfo da época em Moto3, batendo o compatriota Aron Cnet (Honda) e o italiano Fabio Di Giannantonio (Honda). No Mundial, reforçou a liderança, com 99 pontos, distanciando-se o italiano Romano Fenati, segundo, com 65.

O Grande Prémio de Itália, sexta prova do Mundial, disputa-se no circuito de Mugello, em 4 de junho.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.