Na terceira bateria desta prova especial da Liga Mundial de Surf (WSL), Yolanda Hopkins entrou muito forte e, com uma pontuação de 13,46 (em 20 possíveis), bateu a francesa Pauline Ado (11,17), que já integrou a elite mundial, passando à próxima fase da prova que decorre na Praia de Ribeira d’Ilhas.

“Entrei no meu ‘heat’ relaxada e a aproveitar as boas ondas que Ribeira d’Ilhas tem para dar, eu gosto muito desta onda. Este campeonato é da WSL, mas não tem pontos investidos, é para aproveitar as ondas que temos aqui para nós. O meu objetivo é ganhar, mas estou relaxada”, realçou a atleta algarvia.

Antes, no primeiro ‘heat’, Camila Cardoso (5,80), jovem surfista de Carcavelos, tinha perdido o duelo contra a israelita Anat Lelior (11,07), despedindo-se da competição.

Já na segunda bateria, Carolina Mendes (12,74), bicampeã nacional e a primeira portuguesa a ganhar o título de campeã europeia, foi derrotada pela francesa Johanne Defay (13,84), que integra o circuito principal da WSL.

No quarto e último confronto dos ‘quartos’, Teresa Bonvalot (12,27), de 20 anos, que se sagrou recentemente campeã nacional pela terceira vez, foi superada pela espanhola Nadia Erostarbe (13,93) e também disse adeus à prova.

O MEO Portugal Cup Surfing, que se segue a uma prova semelhante disputada na semana passada em França, não pontua para qualquer ‘ranking’ e tem como principal objetivo proporcionar momentos de competição aos atletas, depois de os circuitos de 2020 da WSL terem sido cancelados por causa da pandemia de covid-19.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.