Às 14:40 (hora de Lisboa), o índice Dow Jones Industrial perdia 0,10% para 20.816,94 pontos e o tecnológico Nasdaq cedia 0,20% para 5.850,33 pontos.

Também o índice alargado S&P 500 recuava, neste caso 0,18%, para 2.365,59 pontos.

Na segunda-feira, a bolsa nova-iorquina encerrou em alta ligeira, mas o suficiente para que o seu índice emblemático Dow Jones estabelecesse o 12.º recorde consecutivo no fecho da sessão, algo que não acontecia há mais de 30 anos.

Trump fará hoje o primeiro discurso perante o Congresso norte-americano, que reúne Senado (câmara alta) e Câmara dos Representantes (câmara baixa), enquanto presidente dos Estados Unidos da América.

Os mercados têm estado muito atentos às políticas económicas da nova administração.

Até agora, o chefe de Estado apenas revelou que o orçamento federal “vai incluir um aumento histórico nos gastos da Defesa” para reconstruir o exército, após uma campanha eleitoral recheada de promessas relacionadas com a segurança nacional e o combate ao grupo ‘jihadista’ Estado Islâmico (EI).

Na segunda-feira uma fonte oficial da Casa Branca revelou que o presidente norte-americano quer aumentar em cerca de 9% as despesas militares, ou seja em 54 mil milhões de dólares (mais de 50 mil milhões de euros), e diminuir a ajuda externa.

Estas medidas constam na proposta de orçamento para o ano fiscal de 2018 da administração de Donald Trump, que assumiu funções a 20 de janeiro.

Nos Estados Unidos foi já conhecida hoje a segunda estimativa da evolução da economia referente a 2016, que confirmou que um crescimento de 1,6% o ano passado, o mais modesto desde 2011 e desapontando os analistas que esperavam uma revisão em alta.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.