Num comunicado sobre a Síntese de Execução Orçamental divulgada pela Direção-Geral do Orçamento (DGO), o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social sublinha que “o subsetor da Segurança Social continuou a reforçar a trajetória positiva ao apresentar, em outubro, um saldo global no valor de 2.882,1 milhões de euros”.

A receita da Segurança Social atingiu em outubro 24,2 mil milhões de euros, mais 1,9 mil milhões de euros ou 8,6% do que em outubro de 2018.

Já a despesa foi de 21,4 mil milhões de euros, um aumento homólogo de 5,7%, correspondente a mais 1,2 mil milhões de euros.

“A variação da receita continua a decorrer, essencialmente, da recuperação do mercado de trabalho registada durante a anterior legislatura, tendo a redução do desemprego, o aumento do emprego e o crescimento dos salários, a par do reforço da eficiência do sistema, tido impactos consideráveis no aumento das contribuições e quotizações”, salienta o Ministério.

As contribuições e quotizações aumentaram 8,7% em outubro comparando com o mesmo período de 2018, para 14,9 mil milhões de euros.

Por sua vez, os acréscimos de despesa resultam sobretudo dos aumentos dos gastos com pensões e complementos em 702,2 milhões de euros (mais 5,4% do que em outubro de 2018) para 13,6 mil milhões de euros.

Para este aumento contribuiu, entre outros fatores, “a atualização extraordinária de pensões com efeitos a janeiro de 2019, enquanto que em 2018 apenas teve início no mês de agosto”, justifica o ministério liderado por Ana Mendes Godinho.

Em sentido contrário, a despesa com prestações de desemprego caiu 4,7% para 988 milhões de euros, revela a síntese da DGO.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.