"Um acordo preliminar já foi esboçado", afirmou Andrzej Duda, numa conferência de imprensa conjunta em Praga, capital da República Checa, com o seu homólogo checo, Milos Zeman.

"Os trabalhos e as conversações estão em curso, este acordo é o resultado de esforços muito intensos das partes polaca e húngara, mas também da presidência alemã [do Conselho da UE]”, acrescentou o líder polaco.

A aprovação do orçamento plurianual da UE para 2021-2027 (1,08 biliões de euros) e do Fundo de Recuperação pós-pandemia que lhe está associado (750 mil milhões) encontra-se bloqueada pela Polónia e pela Hungria, que discordam da condicionalidade no acesso aos fundos comunitários ao respeito pelo Estado de Direito.

Este anúncio de Andrzej Duda surge na véspera de um Conselho Europeu, agendado para esta quinta e sexta-feira, que tinha entre os principais itens de agenda tentar encontrar uma saída para o veto imposto por Varsóvia e Budapeste.

A Alemanha, país que assegura atualmente (e até final de dezembro) a presidência semestral rotativa do Conselho da UE, tem vindo a intensificar esforços para desbloquear a situação.

Na terça-feira, o primeiro-ministro polaco, Mateusz Morawiecki, chegou a admitir a possibilidade de ser necessário realizar uma cimeira adicional dos líderes da UE para desbloquear esta matéria.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.