Mark Zuckerberg, co-fundador e CEO do Facebook, revelou o novo design escolhido para a maior rede social do mundo, sendo que a mudança se refletirá tanto na aplicação para telemóveis como no website.

O objetivo é retirar o ênfase ao mural - conhecido como News Feed - e dar mais relevo às comunidades.

Zuckerberg considera que as mensagens privadas, as “stories” e os pequenos grupos são as áreas da comunicação online que mais rapidamente têm crescido.

“Acreditamos que existe uma comunidade para todos. Por isso, estamos a trabalhar numa evolução para tornar as comunidades tão centrais quanto os amigos ”, disse Zuckerberg.

Nesse sentido, a empresa lançou funcionalidades que visam incentivar os utilizadores a interagir com os seus círculos sociais e profissionais mais próximos.

Exemplo disso é a expansão do Facebook Dating, uma ferramenta para encontros apenas disponível nalguns países (Portugal não é um deles), e a opção "Secret Crush" (Paixão Secreta, numa tradução livre) dentro desta ferramenta. O "Secret Crush" permitirá mostrar interesse por amigos, recebendo o utilizador uma notificação se um dos amigos selecionados também expressar interesse - tal como acontece no Tinder.

Em março, Zuckerberg tinha prometido mudanças na empresa, uma vez que nos últimos tempos tem estado sob escrutínio devido a questões relacionadas com a quebra de privacidade, falhas de segurança e uso indevido de dados dos utilizadores, de que é exemplo a partilha de informações de 87 milhões de utilizadores com a agora extinta consultora britânica Cambridge Analytica.

A dado momento, na conferência desta terça-feira, num ecrã gigante apareceu a mensagem: "O futuro é privado”. Nessa altura, Zuckerberg reconheceu o ceticismo generalizado em relação ao seu plano de transformar o Facebook numa rede social "focada na privacidade".

“Eu entendo que muitas pessoas não têm certeza de se estamos a falar sério", disse, provocando risos na audiência. No entanto, o CEO da rede social afirmou que estão “comprometidos em fazer isto bem e em começar um novo capítulo”.

Na conferência, foram apresentadas também mudanças no Instagram e no Messenger.

O Messenger terá uma versão para Mac e Windows - a opção para desktop do Messenger estará disponível este outono. Para além disso, a empresa está a trabalhar para tornar a aplicação do Messenger mais leve e mais rápida.

Quanto ao Instagram, as mudanças centram-se também no tema da privacidade. A rede social está a testar uma nova opção que esconde os “likes” das fotos. Os utilizadores continuarão a conseguir ver quantos “likes” as suas fotos têm, mas o número não aparecerá por baixo de cada publicação.

“Temos mostrado ao longo do tempo que somos uma empresa que tem o que é preciso para evoluir", disse Zuckerberg na conferência.

Esta é a quinta maior alteração de design do Facebook desde que a rede social foi lançada há mais de dez anos.

(Notícia corrigida às 00h11 de 01/05/2019)

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.