“A saúde e segurança dos nossos funcionários e dos elementos das nossas comunidades é a nossa maior prioridade e estamos a adotar uma abordagem comedida para reabrir os escritórios”, disse um porta-voz do gigante tecnológico norte-americano através de uma nota enviada à France-Presse (AFP).

O distanciamento físico e a utilização de máscaras vão continuar a ser obrigatórios. Os escritórios de Silicon Valley vão reabrir apenas a 10% da capacidade total.

Os restantes escritórios vão reabrir a partir de 2 de julho e até 50% da capacidade, mediante as restrições sanitárias que estejam em vigor nas áreas onde estão localizadas estas instalações e a melhoria no número de infeções locais.

Contudo, esta capacidade de 50% apenas vai ser a partir de 7 de setembro nas maiores instalações do Facebook.

Todos os funcionários podem continuar a trabalhar a partir de casa até 2 de julho e os que não estão oficialmente em teletrabalho podem continuar a trabalhar no domicílio até um mês depois da reabertura do escritório onde trabalham e depois de ser atingida 50% da capacidade.

A rede social é apenas uma de muitas empresas que começam a pensar no regresso ao trabalho “pós-pandemia”, uma vez que a campanha massiva de vacinação que está em curso nos Estados Unidos permite começar a olhar além deste último ano de confinamentos, reaberturas, recuos e incertezas.

A Microsoft vai adotar um sistema diferente, com uma reabertura “híbrida” da maior parte dos escritórios que tem pelo mundo, mas com uma mistura entre o teletrabalho e o trabalho presencial.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.