Os sete membros de um dos mais famosos e internacionalmente bem sucedidos grupos de K-pop, que gera milhares de milhões de dólares para a economia sul-coreana, fizeram o anúncio durante o seu evento anual chamado FESTA, transmitido por streaming.

RM, um dos membros, de 27 anos, disse que depois dos últimos singles do BTS, nomeados para os prémios Grammy, os membros do grupo estão "esgotados".

"O problema com o K-pop e todo o sistema de ídolos é que não te dão tempo para amadurecer (...). Tens de continuar a produzir música e continuar a fazer alguma coisa", explicou, afirmando que precisa de "algum tempo sozinho".

Jimin, de 26 anos, disse por sua vez que todos "estamos a começar a pensar qual tipo de artista queremos ser cada um, para sermos lembrados pelos nossos fãs."

"Acho que é por isso que estamos a passar por um momento difícil agora, estamos a tentar encontrar a nossa identidade e esse é um processo exaustivo e longo", acrescentou.

No final do evento, vários membros começaram a chorar enquanto agradeciam aos seus fãs, conhecidos como ARMYs.

Os integrantes do grupo "precisam passar algum tempo separados para aprender a ser um só novamente", disse J-Hope, de 28 anos. "Espero que não vejam isto como algo negativo", ressalvou o artista.

A notícia chocou os fãs, que começaram a questionar-se se isto significa o fim deste gigante da pop, embora, de acordo com o vídeo, não seja o caso.

"Prometemos que voltaremos um dia ainda mais maduros do que estamos agora", declarou Jungkook, de 24 anos, que pediu a "bênção" dos fãs.

A notícia chega poucos dias depois do grupo lançar a compilação "Proof", que inclui um novo single, "Yet To Come (The Most Beautiful Moment)".

A editora do BTS continuou a ver os seus lucros crescer durante a pandemia, apesar do número reduzido de espetáculos. O septeto é o primeiro grupo sul-coreano a conquistar o topo da lista de sucessos da Billboard nos Estados Unidos, um marco que alcançaram com “Dynamite”, a primeira música dos BTS cantada inteiramente em inglês.

Os BTS são também um dos poucos grupos, desde os Beatles, que lançaram quatro álbuns que foram número um nos Estados Unidos em menos de dois anos.

Criado em 2013, o conjunto foi indicado duas vezes aos Grammys. O grupo já tinha feito duas pequenas pausas antes, em 2019 e 2021, para "recarregar as baterias" e "procurar inspiração".

Recentemente, os BTS foram notícia pela sua visita à Casa Branca para entregar uma mensagem ao presidente Joe Biden sobre o combate ao racismo contra asiáticos.

O grupo também foi convidado duas vezes a falar na ONU, em 2018 e 2021, sobre as mudanças climáticas e a pandemia da Covid-19.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.