O ciclo, intitulado “Trabalhos da Casa”, permite ver ou rever peças de Gil Vicente, Matéi Visniec e Gonçalo M. Tavares, “numa mostra de algumas das principais linhas de repertório que marcam o percurso da companhia”, de acordo com uma nota de imprensa da companhia.

O ciclo que enceta as comemorações do aniversário arranca com dois espetáculos, em coprodução com o Centro Dramático de Évora (Cendrev), que são “as mais recentes abordagens da Escola da Noite ao universo vicentino”.

No Teatro da Cerca de São Bernardo, são apresentados “Embarcação do Inferno”, estreado em 2016, e “Floresta de Enganos”, estreado em Évora em dezembro, dois espetáculos que “exprimem uma das marcas mais distintivas do repertório da companhia – a exploração da obra vicentina” e o desafio de encontrar “novas formas para textos antigos”.

Segue-se a apresentação dos espetáculos “Palhaço velho, precisa-se”, de Matéi Visniec, e “Cidade, Diálogos”, a partir da obra de Gonçalo M. Tavares, criações construídas a partir de trabalhos contemporâneos.

A Escola da Noite fez a sua primeira aparição pública a 27 de março de 1992, com a estreia de “Amado Monstro”, de Javier Tomeo, tendo estreado, desde então, 72 criações ao longo de três décadas de trabalho “contínuo e regular”, salientou a companhia.

O ciclo arranca na quinta-feira, com a estreia em Coimbra de “Floresta de Enganos”.

“Embarcação do Inferno” é apresentada de 15 a 27 de fevereiro e “Palhaço velho, precisa-se” de 24 de março a 03 de abril.

O ciclo encerra com “Cidade, Diálogos”, de 14 a 30 de abril.

Segundo a companhia, o programa completo de comemorações dos 30 anos vai estender-se até 27 de março de 2023.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.