Onde?

O MIL vai dividir-se, nos próximos dias 28, 29 e 30 de setembro, entre o Hub Criativo do Beato, onde decorrerá a convenção – debates, masterclasses, workshops -, e seis salas do Cais do Sodré, que recebem a programação musical.

A premissa da edição deste ano é “Descobre Enquanto é Segredo”. A frase-chave é o mote de um festival que se assume "uma plataforma para a descoberta, promoção, valorização e internacionalização da música popular atual".

Seis sugestões a não perder

No que toca à programação musical, pode ser difícil fazer escolhas. Nos dois dias de concertos, mais de 50 artistas portugueses e estrangeiros dividem-se entre as várias salas do Cais do Sodré. Deixamos algumas sugestões. Para...

  • Para algo totalmente novo: o concerto de abertura. Um espetáculo original criado em residência artística com BLEID, Clara! , BRAVA e Blck Mamba (28 set). Durante uma semana, as quatro produtoras juntaram-se para uma residência artística realizada em parceria com o MIL e os export offices Wallonie-Bruxelles Musiques, VI.BE e Musika Bulegoa.
  • Para abanar as ancas. Lil Ella (29 set), a espanhola traz a Lisboa os seus ritmos quebrados hipnóticos latinos.
  • Para ouvir as canções do sucessor de “Revezo”. Pelo menos é essa a promessa do festival na apresentação do português Filipe Sambado (29 set).
  • Para dizer "já vi no MIL" daqui a uns meses. Se há um nome que promete saltar do MIL para os cartazes de verão dos próximos festivais é o do francês Lewis OfMan (29 set). O seu último singleMove Me” tem como convidada especial Carly Rae Jepsen.
  • Para dizer "já vi no MIL" daqui a uns meses, part II. Meskerem Mees (30 set) promete enriquecer o leque de respostas à pergunta: "gostas de algum artista belga?". Terá outro nome na ponta da língua além dos dEUS.
  • Para viajar. Segundo o MIL, a japonesa Hinako Omori (30 set) "combina cura interior e paisagens naturais numa cartografia imersiva da mente num ambiente electrónico". É ouvir para confirmar.

Horários

Não se perca, estes são os horários por dia e respetiva sala.

  • 29 de setembro

Musicbox
00h45 L’Homme Statue
23h45 Lewis Ofman
22h30 Mainline Magic Orchestra
21h15 Filipe Karlsson
20h00 Marta Knight

Roterdão
23h00 Lil’Ella
21h45 Soluna
20h30 Evaya

Titanic Sur Mer
00h00 Tukan
22h45 Rosie Alena
21h30 Milian
20h15 Isabel do Diego

Lounge
23h45 Iolanda
22h30 Roseboy666
21h15 Charlotte Fever
20h00 Sónia Trópicos

B.Leza
23h30 Puta da Silva
22h15 Cassete Pirata
21h00 Verde Prato
19h45 Prétu

ETIC (Auditório)
23h15 Filipe Sambado
22h00 Sfistikated
20h45 Anger
19h30 Chica

  • 30 de setembro

Musicbox
00h45 Clara!
23h45 Avalanche Kaito
22h15 Sereias
21h00 Flying Moon in Space
19h45 Los Yolos

Roterdão
23h00 Jacuzzi Gang
21h45 João Não
20h30 Conferência Inferno

Titanic Sur Mer
00h15 Sun
23h00 Bikôkô
21h30 Celso
20h15 Meskerem Mees

Lounge
23h45 Trypas Corassão
22h30 Julián Mayorga
21h15 Bedouin Burger
20h00 Kriol

B.Leza
23h45 João Silva & Banda B.Leza
22h30 Davi Sabbag
21h15 Reinel Bankole
20h00 Insólito Universo

Outros palcos para a música

Além dos concertos, haverá encontros com profissionais da indústria musical e discográfica, debates e masterclasses.

De acordo com o programa deste ano, estão previstos quatro grandes encontros para refletir sobre políticas culturais, economia da atividade musical noturna, sobre acessibilidades e sobre a indústria musical.

Entre os convidados estão Tiago Fortuna e Jwana Godinho, fundadores da Access Lab, que vão dar uma masterclass sobre eventos acessíveis para pessoas com deficiência e surdas, assim como Kigo Elosegui, agente do músico espanhol C. Tangana, que vai orientar "uma aula teórico-prática" sobre a criação de identidade e consciencialização global e local para os artistas.

Kaitlyn Davies, que já esteve este ano no festival Sonar Lisboa, fundadora do coletivo CO:QUO e especialista em web 3.0, vai ao MIL fazer um 'workshop' de criação de um NFT.

Os artistas Puta da Silva e Rodrigo Cuevas, "ativistas e agitadores da música popular e folk", vão estar no MIL para falar sobre a tradição e reinvenção da música popular atual.

O programa completo da convenção pode ser consultado aqui.

Bilhetes

O passe geral, só para o MIL, varia entre os 30 euros (3 dias) e os 20 euros (diários)

Já o bilhete PRO dá acesso aos concertos, convenção e base de dados de profissionais, custa 60 euros.

Há ainda descontos para estudantes (10 euros) e bilhetes ACESS para pessoas com deficiência, que também permitirão acesso a mais um assistente pessoal ou acompanhante.

Os bilhetes devem ser trocados pela pulseira antes do evento.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.