A 9 de novembro, um barco de resgate de migrantes encontrou uma mochila vermelha a flutuar no Mediterrâneo, bem como outros vestígios de um naufrágio ocorrido semanas antes. A mochila tinha lá dentro duas alianças de casamento — e nelas liam-se os nomes de Ahmed e Doudou, conta o The Guardian.

A história foi contada no Twitter pela organização humanitária Médicos Sem Fronteiras [MSF Sea].

"Finalmente, algumas notícias mais felizes. Há algumas semanas, a MSF Itália encontrou sobreviventes de um naufrágio mortal na costa de Lampedusa. Há alguns dias, a tripulação do Open Arms recuperou uma mochila do que restou do barco atingido, ainda à deriva no Mar Mediterrâneo", começaram por explicar.

"No meio das roupas encontradas lá dentro estava um par de alianças de casamento que foram retiradas. Estavam inscritos dois nomes nelas: Ahmed e Doudou", referem, explicando de seguida que a fotografia chegou à MSF por terem prestado cuidados aos sobreviventes resgatados.

A organização informou ainda que o casal foi localizado e que "em breve se reunirá com os seus bens restantes — incluindo estes símbolos do seu amor um pelo outro, que se acreditava estarem perdidos para sempre. Um raio de luz na escuridão", lê-se.

Ao The Guardian, Riccardo Gatti, presidente da ONG Open Arms em Itália, referiu que inicialmente se pensou que o achado "era a prova de mais uma história de amor que acabou no fundo do mar".

"Infelizmente encontramos muitas coisas. Na maioria das vezes, malas e bolsas a flutuar no mar, que não são nada mais do que símbolos de mais uma viagem que começou na Líbia e terminou em tragédia", explica.

Contudo, há um procedimento que tem de ser seguido para tentar identificar os donos dos pertences, pelo que são partilhadas fotografias nas redes sociais e através da rede de contactos da organização, pelo que neste caso não foi diferente. "O que aconteceu a seguir foi emocionante", lembrou Gatti.

Devido a um artigo publicado no jornal La Repubblica com fotos dos anéis, a organização Médicos Sem Fronteiras conseguiu descobrir que estes pertenciam a um casal argelino recém-casado: Ahmed, de 25 anos, e Doudou, de 20.

O casal, hospedado num centro de acolhimento na Sicília, faz parte dos 15 sobreviventes de um naufrágio ocorrido na costa da ilha de Lampedusa no dia 21 de outubro, no qual cinco pessoas morreram.

A mochila com os anéis ainda está a bordo do navio Open Arms, que se encontra ao largo da costa da Sicília. Mas em breve estará de volta a quem a carregou até ao barco que acabou por naufragar.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.