O homem que ontem atacou um militar na galeria comercial do Museu do Louvre, em Paris, teria publicado um tweet sobre a ação minutos antes, mencionando o Estado Islâmico, "os irmãos na Síria" e "os combatentes de todo o mundo", segundo fontes ligadas à investigação citadas pela AFP.

De acordo com essas fontes, as publicações teriam origem numa "conta do Twitter, cujo titular poderia ser o autor". Estão a ser investigados o iPhone 7 e o iPad do agressor, que ainda não teve a sua identidade confirmada.

Na conta do Twitter aberta em nome de Abdallah El Hamahmy, vários tweets em árabe foram publicados ontem, minutos antes do ataque. Um deles, das 9h31 locais, dizia: "em nome de Allah (...) por nossos irmãos na Síria e pelos combatentes de todo o mundo".

Um minuto depois, outro tweet fazia referência ao Estado Islâmico. O titular da conta também mencionou uma viagem Dubai-Paris a 26 de janeiro, que converge com a que foi feita pelo suspeito do ataque. A conta continuava acessível ontem à noite, constatou a AFP.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.