“O vento dificultou o combate ao incêndio e os meios, tendo em conta a quantidade de ocorrências ao mesmo tempo, criou-nos esse problema. Tivemos poucos meios quando o incêndio era nascente”, afirmou à agência Lusa Domingos Carvas.

Segundo o autarca, uma idosa foi retirada de casa, nas imediações de Fermentões, “por precaução” e levada para o centro desta aldeia e a Estrada Nacional (EN) 322 foi cortada ao trânsito para manobras dos bombeiros.

Durante a tarde foi lançado um alerta na internet para a existência de um canil e com a ajuda de voluntários foram retirados todos os animais para um local seguro.

Domingos Carvas disse ainda que “80% da área que já ardeu corresponde a pinhal”.

Também o comandante dos bombeiros de Sabrosa, José Barros, considerou que os meios "não foram suficientes para este teatro de operações” e explicou que o fogo “progrediu com muita rapidez” por causa do vento forte.

José Barros apontou preocupações com os “pontos sensíveis” nas aldeias de Fermentões e de Paços, onde o fogo progredia próximo de algumas habitações, arrumos agrícolas e estábulos de animais.

O fogo, que deflagrou perto da aldeia de Roalde, às 15:37, possui duas frentes.

Segundo a página na internet da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, pelas 21:30 estavam mobilizados para este incêndio 151 operacionais e 41 viaturas.

Outro fogo que continua a causar preocupações no distrito de Vila Real é o de Alijó, onde estão 176 operacionais e 55 viaturas e progride com “alguma intensidade”.

O distrito de Vila Real está em estado de alerta especial de nível vermelho.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.