O Departamento de Saúde e Serviços Humanos (HHS) indicou numa declaração ter emitido uma norma que entrará em vigor a 08 de novembro que visa reforçar o programa conhecido como “Título X”, que atribui financiamento federal para o planeamento familiar e serviços de saúde preventiva.

Este programa não permite que os fundos públicos paguem os procedimentos para pôr fim a uma gravidez, mas a medida aprovada pela administração anterior impedia mesmo que as instalações financiadas com estes recursos encaminhassem pacientes para outros locais para fazer abortos.

A reversão desta medida surge numa altura em que o debate sobre o aborto está a viver um novo capítulo no país após a aprovação de uma lei no Texas que proíbe esta intervenção às seis semanas de gestação, quando muitas mulheres nem sequer sabem que estão grávidas, e apenas algumas semanas antes de o Supremo Tribunal realizar uma audiência sobre esta questão em 01 de dezembro.

O HHS especificou que o novo regulamento inverte “as alterações da Administração Trump (2017-2021) ao programa”.

Também restabelecerá serviços como a telemedicina e a “necessidade urgente de serviços de planeamento familiar” à luz de acontecimentos como a lei aprovada no Texas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.