Em declarações ao SAPO24, fonte da direção do Boavista Futebol Clube diz que "a Somague não tem motivos para fazer o pedido de insolvência porque não cumpriu os requisitos com que se tinha comprometido aquando do PER, fazendo com que o plano que nós pedimos fosse adiado".

Segundo a direção dos axadrezados em causa está uma "redução do valor das hipotecas" que nunca foi cumprido. Após o cumprimento do acordado, o Boavista diz-se pronto para cumprir o plano.

"O requerimento da Somague não faz qualquer sentido", disse ainda fonte da direção do clube do Bessa que sublinhou que o PER do Boavista "tem sido cumprido com todos os credores públicos, designadamente com a autoridade tributária e a segurança social".

Realçando que as obrigações para com a construtora têm um período de carência diferente, os axadrezados dizem estar em negociações com a Somague.

Através de um comunicado no site oficial do clube, o Boavista expressou a sua posição face ao sucedido:

Face ao comunicado emitido pelo Boavista, o SAPO24 relembra as declarações de Luis Garcês, diretor de marketing e comunicação da Somague: "A Somague construiu para o Euro 2004 o estádio do Boavista, e acordou com o clube um plano de pagamentos. Em setembro de 2010 o Boavista tinha falhado esses pagamentos e portanto, nessa altura, requereu-se a insolvência do clube. Dois anos depois o Boavista apresentou-se a um processo especial de revitalização (PER). Nesse âmbito foi aprovado e homologado um plano de revitalização e, uma vez mais, o Boavista não cumpriu o plano. Seis anos depois, em 2016, e já 12 anos volvidos da construção do estádio, a Somague continua credora do Boavista e por isso volta a requerer a insolvência do Boavista".

O SAPO24 tentou por várias vezes contactar a direção do Boavista. Uma vez em contacto com um alto dirigente do clube, as declarações foram recolhidas e citadas no presente artigo.

Esta quinta-feira o SAPO24 noticiou em primeira mão que a Somague, empresa que construiu o estádio do Bessa em 2004, apresentou um pedido de insolvência junto do Boavista Futebol Clube (que visa somente o clube, o que abarca estádio e modalidades, deixando de fora a SAD, que gere o futebol), que pode deixar em causa a utilização do estádio do Bessa pela equipa portuense.

[Notícia atualizada às 20:02]

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.