"Denuncio ao mundo e ao povo boliviano que um oficial da polícia anunciou publicamente que tem a instrução de executar uma ordem de prisão ilegal contra a minha pessoa", escreveu no Twitter Morales, que anunciou também que "grupos violentos" atacaram a sua casa.

Morales, que governou a Bolívia durante quase 14 anos, acrescentou: "Os golpistas destroem o Estado de Direito".

O líder cívico de direita Luís Fernando Camacho, que liderou o movimento pela renúncia de Morales, confirmou a ordem de prisão.

"Confirmado!! Ordem de apreensão para Evo Morales!! A polícia e os militares estão a procurá-lo no Chapare", uma província do departamento de Cochabamba, escreveu Camacho.

"Os militares tiraram-no do avião presidencial e ele está escondido no Chapare, vão acabar por apanhá-lo! JUSTIÇA!", acrescentou.

Morales ficou este domingo na zona de Chapare, o seu berço político, para anunciar a sua renúncia, após perder o apoio dos militares e da polícia.

O ex-presidente chegou à tarde a bordo do avião presidencial ao aeroporto de Chimoré, que serve ao Chapare, acompanhado do vice-presidente Álvaro García Linera, que também renunciou ao cargo e à presidência do Congresso.

Morales, de 60 anos e que assumiu em 2006 a presidência, enfrentou três semanas de protestos nas ruas contra a sua reeleição nas questionadas eleições de 20 de outubro.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.