"Vamos instalar moto-bombas de grande débito, de grande capacidade, para drenar a água naquele poço e, se as condições de segurança o permitirem, iremos também iniciar uma delicada operação de desencarceramento e de desobstrução com o apoio de uma grua", revelou o comandante distrital de Operações de Socorro de Évora (CODIS), José Ribeiro.

Em simultâneo, acrescentou o responsável, “no local” da pedreira “onde ocorreu o deslizamento mais significativo de massa”, as autoridades vão também, “durante a tarde, utilizar um equipamento de deteção, com o apoio de uma grua, que permita identificar o local onde estão as duas viaturas" submersas.

José Ribeiro, que falava em conferência de imprensa no quartel dos Bombeiros Voluntários de Borba, destacou a "complexidade" das operações em curso, sublinhando que vão ser "morosas e difíceis".

“Cada passo, cada ação tem que ser muito ponderada, muito bem avaliada para garantirmos a todo o momento as condições de segurança dos 59 operacionais que temos neste momento no terreno das várias entidades e agentes da Proteção Civil”, disse.

O comandante apelou ainda aos populares para que evitem circular na zona do deslizamento de terras, por “razões de segurança” e, principalmente, para “facilitar” a circulação das viaturas de socorro.

José Ribeiro relatou ainda que a situação no local é “instável” e a qualquer momento poderão existir registos de deslizamento de terras.

Sobre o encerramento temporário das pedreiras que estão localizadas naquela zona, por uma questão de segurança, o comandante do CODIS disse ainda que se trata de uma situação que está a ser avaliada.

Já o presidente da Câmara de Borba, António Anselmo, disse aos jornalistas que a prioridade nesta altura passa por resgatar as vítimas daquele local, para “permitir que as famílias, pelo menos, possam ter um luto em condições”.

O deslizamento de um grande volume de terra na estrada entre Borba a Vila Viçosa, no distrito de Évora, provocou a deslocação de uma quantidade muito significativa de rochas, de blocos de mármore e de terra para o interior de uma pedreira, pelas 15:45 de segunda-feira.

Estão confirmados dois mortos, operários da empresa que explora a pedreira.

As autoridades procuram ainda um número indeterminado de vítimas, cujas viaturas em que seguiam terão sido arrastadas para o interior da pedreira.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.