Bares e restaurantes de São Paulo poderão abrir com 40% da sua capacidade por apenas seis horas por dia, respeitando regras de distância física e medidas de higiene.

Durante a fase anterior do plano criado para organizar a saída gradual do confinamento e a reabertura económica da capital ‘paulista’, lojas e os ‘shopping centers’ foram autorizados a reabrir com algumas restrições.

“A fase mais aguda já passou, chegamos a um ‘plateau’ [quando as infeções param de aumentar embora se mantenham num patamar alto até começarem a cair]. Agora é a hora de começar a revitalizar as atividades económicas”, garantiu o prefeito de São Paulo, Bruno Covas.

Segundo o governante, que já foi infetado pelo novo coronavírus, a taxa de ocupação das camas de cuidados intensivos na cidade caiu para menos de 60%, o que garante condições de reabertura da economia.

Além de São Paulo, a cidade brasileira do Rio de Janeiro também promoveu a reabertura de bares e restaurantes, na última quinta-feira.

Na capital ‘carioca’ o afluxo imediato de clientes, que lotaram bares no bairro boémio do Leblon no primeiro dia em que bares puderam funcionar, alarmou as autoridades e os médicos.

O Brasil é o país lusófono mais afetado pela pandemia e um dos mais atingidos no mundo, ao contabilizar o segundo número de infetados e de mortos (mais de 1,6 milhões de casos e 64.867 óbitos), depois dos Estados Unidos da América.

Devido à vastidão do território brasileiro, com 212 milhões de habitantes, a pandemia espalhou-se de maneira desigual e atualmente está migrando das capitais para o interior de diferentes estados.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 534 mil mortos e infetou mais de 11,47 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.