"A recente distensão na península coreana foi difícil de alcançar, o processo de solução política tem uma oportunidade histórica rara", afirmou numa entrevista coletiva o porta-voz do ministério chinês das Relações Exteriores, Lu Kang.

A China, principal aliada do regime norte-coreano, constata com satisfação que as duas partes se declararam abertas ao diálogo, apesar do cancelamento da reunião de reunião histórica programada para 12 de junho em Singapura, destacou o porta-voz.

"Nas circunstâncias atuais, esperamos que a Coreia do Norte e os Estados Unidos preservem os recentes progressos alcançados, apresentem mostras de paciência e boa vontade, avancem na mesma direção e permaneçam comprometidos na desnuclearização da península", declarou Lu.

A China aplicou nos últimos anos as sanções internacionais que pretendiam convencer Pyongyang a renunciar ao seu arsenal nuclear, condenando ao mesmo tempo as ameaças militares dos Estados Unidos.

Pequim registrou uma grande aproximação com o regime norte-coreano desde o início do ano e o presidente Xi Jinping recebeu Kim Jong-un duas vezes nos últimos meses.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.