O Reino Unido “deixou a União Europeia” e, como consequência, “deve agora decidir como organizar a gestão do controlo de fronteira”, disse Schinas, em declarações a jornalistas, na ilha grega de Kos.

“Se bem me lembro, o principal ‘slogan’ da campanha do referendo [sobre o ‘Brexit’] foi ‘Estamos a retomar o controlo'”, acrescentou Schinas, que está a coordenar um novo pacto sobre migrações e asilo.

“Como o Reino Unido recuperou o controlo, cabe aos britânicos encontrar as medidas necessárias para operacionalizar o controlo que assumiram”, acrescentou o vice-presidente da Comissão Europeia.

A crise dos migrantes aumentou dramaticamente após o naufrágio de um barco no Canal da Mancha, na quarta-feira, que provocou a morte de 27 migrantes.

As tensões entre a França e o Reino Unido escalaram após uma mensagem do primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, divulgada na rede social Twitter, pedindo à França para aceitar de volta os imigrantes que chegam ao seu país.

“Estou estupefacto com os métodos, porque não são sérios”, disse o Presidente francês, Emmanuel Macron, reagindo a esta mensagem de Boris Johnson.

O ministro do Interior francês, Gérald Darmanin, cancelou a visita ao porto de Calais do seu homólogo britânico Priti Patel, marcada para domingo, que iria participar numa reunião de crise sobre migrações.

O encontro vai decorrer na presença dos ministros responsáveis pela questão das migrações da Bélgica, Alemanha e Países Baixos, bem como de dirigentes da Comissão Europeia.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.