A juíza do Supremo Tribunal dos Estados Unidos Ruth Bader Ginsburg, um dos maiores símbolos e exemplos vivos da luta pela igualdade de género e contra a descriminação de minorias, morreu esta sexta-feira. Num país comovido pela perda de um ídolo, Donald Trump e Joe Biden começaram uma luta pré-eleitoral sobre a sucessão daquela que era conhecida como RBG e pelo equilíbrio (ou desequilíbrio da instituição entre progressistas e conservadores)

Como funciona o Supremo Tribunal dos Estados Unidos?

O tribunal é composto por nove juízes, com cargos vitalícios e que têm o poder de mudar as leis do país. Na prática, desempenham um papel crucial em temas como o aborto, os direitos dos imigrantes, a privacidade, a pena de morte e a posse de armas.

Quem nomeia os juízes?

Os magistrados são nomeados pelo Presidente norte-americano e devem ser confirmados pelo Senado.

Qual a atual composição do tribunal?

Na sequência da morte de Ginsburg, a mais alta instância judicial dos Estados Unidos integra oito juízes, seis homens e duas mulheres: três progressistas e cinco conservadores

O que pretendem os democratas?

“Esta noite e nos próximos dias, vamos estar focados na morte da juíza e no seu legado imortal. Mas para que não haja qualquer dúvida, deixem-me ser claro: os eleitores devem escolher o Presidente e o Presidente deve escolher o juiz para que o Senado o considere”, disse Joe Biden.

O ponto do candidato democrata à Casa Branca, nas eleições presidenciais de novembro, é baseado no que aconteceu em 2016, na sequência da morte do juiz conservador do Supremo Tribunal Antonin Scalia, quando o líder da maioria republicana do Senado, Mitch McConnell, ignorou o substituto escolhido pelo então Presidente Barack Obama (2009-2017) e não submeteu a sua nomeação a voto, com o argumento que não fazia sentido uma aprovação em ano eleitoral.

O que pretendem os conservadores?

A notícia da morte de Ginsburg foi divulgada cerca de dez minutos antes de Trump iniciar um comício em Bedmidji, no estado do Minnesota, decisivo nas eleições presidenciais, marcadas para 03 de novembro, e nas quais procura conquistar um segundo mandato na Casa Branca.

"Morreu? Não sabia. Ela era uma mulher incrível que teve uma vida incrível", reagiu Donald Trump, alguns minutos antes de embarcar no avião presidencial Air Force One. Mais tarde, o presidente norte-americano escreveu no Twitter que “estamos nestes lugares de poder para tomar decisões para as pessoas que nos elegeram”, acrescentando que “a mais importante é a escolha dos juízes do Supremo Tribunal”.

Atualmente, os republicanos detêm a maioria no Senado e o líder, Mitch McConnell, emitiu já um comunicado, no qual se comprometeu a submeter a votação o candidato que Trump escolher para o Supremo Tribunal - fazendo exatamente o contrário daquilo que defendeu há quatro anos.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.