Ana Nicolau, dos Precários Inflexíveis, foi julgada pelo crime de perturbação de funcionamento de órgão constitucional.

Os factos de que é acusada remontam a 11 de março de 2015 quando no plenário da Assembleia da República a arguida interrompeu a intervenção do então primeiro-ministro Pedro Passos Coelho pedindo que se demitisse devido às dívidas que este tinha acumulado à Segurança Social entre 1999 e 2004.

na leitura da sentença, o juiz do Tribunal de Instância Central destacou que Ana Nicolau é uma cidadã empenhada e que devia ser elogiada por isso, já que "há falta dessas pessoas".

"Agora o que a sociedade não pode permitir é que essa atuação se faça dentro da Assembleia da República", acrescentou.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.