De acordo com a agência oficial de notícias norte coreana KCNA, Kim Hak Song, detido este sábado, trabalha para a Universidade de Ciência e Tecnologia de Pyongyang (USTP), assim como o seu compatriota preso no mês passado.

A USTP, fundada por missionários cristãos estrangeiros, abriu as portas em 2010 e tem alguns professores americanos. Os alunos desta universidade são os filhos da elite do regime norte-coreano.

A imprensa estatal norte-coreana confirmou esta quarta-feira, 3 de maio, a detenção, em abril, de um professor norte-americano. Kim Sang-Duk, também conhecido como Tony Kim, foi detido a 22 de abril no aeroporto de Pyongyang e é acusado de "atos criminosos hostis destinados a derrubar a RPDC", afirma a agência oficial KCNA, que usa a sigla para o nome oficial do país, República Popular Democrática da Coreia.

Outros dois americanos estão detidos na Coreia do Norte, num momento de relações congeladas com os Estados Unidos. Estes são Otto Warmbier, estudante de 21 anos, condenado em 2016 a 15 anos de trabalhos forçados pela acusação de roubo de material de propaganda, e Kim Dong-Chul, que tem dupla cidadania (americana e norte-coreana), detido por espionagem.

A Coreia do Norte acusou esta sexta-feira a Agência Central de Inteligência (CIA) dos Estados Unidos de conspirar, com a Coreia do Sul, para assassinar o líder do país, Kim Jong-Un.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.