Do ponto de vista político, na declaração final assinada por António Costa e Justin Trudeau reafirma-se o "compromisso" dos dois países em relação à NATO, à defesa do comércio livre, da paz e da segurança coletiva e dos oceanos.

No que respeita à questão da "modernização/atualização" do sistema de cooperação ao nível da Segurança Social, os dois executivos dizem que o novo compromisso "será finalizado e celebrado com a maior brevidade possível, para continuar a salvaguardar a proteção social dos rendimentos e promover o comércio e o investimento".

Tal como a agência Lusa tinha adiantado na quarta-feira, António Costa e Justin Trudeau assinaram também um memorando de entendimento sobre mobilidade juvenil, o qual "abrirá canais adicionais de intercâmbio entre jovens canadianos e portugueses" entre os 18 e os 35 anos.

Os executivos de Lisboa e de Otava assinaram ainda um memorando de entendimento sobre operações aeronáuticas de busca e salvamento, "que será finalizado e assinado nos meses vindouros para reforçar as relações existentes em matéria de defesa".

A parte política da declaração final reflete as matérias em que António Costa e Justin Trudeau se apresentam de acordo, designadamente na ideia de que ambos se comprometem "a aprofundar a colaboração em áreas como sejam a paz e a segurança, o comércio, os oceanos, a igualdade de género e os laços entre os dois povos".

António Costa e Justin Trudeau salientam também no texto final a defesa de um sistema político multilateral nas relações entre países e blocos regionais, deixando ainda uma mensagem de apoio ao secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres.

"Portugal e o Canadá ressaltam a importância vital das Nações Unidas (ONU) para a manutenção de uma ordem assente nas regras internacionais que sirva como um fórum global essencial para o avanço da paz e a segurança internacionais", referem.

Sobre o mandato de António Guterres, Portugal e o Canadá "reiteram o seu total apoio aos esforços do secretário-geral da ONU no sentido de aumentar a eficácia da organização e de concretizar uma reforma que lhe permita lidar melhor e de forma abrangente com os desafios complexos dos dias de hoje".

Na declaração final, os dois primeiros-ministros, além da reafirmação do compromisso com a NATO, também manifestam apoio ao acordo de livre comércio (CETA) celebrado entre o Canadá e a União Europeia em 2016.

Costa e Trudeau "expressam o seu compromisso no sentido de trabalharem conjuntamente para realizar plenamente o potencial do relacionamento comercial e de investimento bilateral".

"O CETA gerará crescimento nos dois lados do Atlântico através do incremento do comércio e dos investimentos, em particular no que diz respeito a empresas ‘startup’ e às áreas da tecnologia de informação e comunicação (TIC), agricultura, tecnologias limpas e energias renováveis, bem como as indústrias aeronáuticas", sustentam.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.