“Está tudo a postos a partir de segunda-feira”, declarou Miguel Albuquerque que hoje visitou as estruturas que estão a ser montadas no Aeroporto da Madeira – Cristiano Ronaldo, que vão permitir que todos os passageiros que cheguem à região sejam testados à covid-19.

O governante madeirense reforçou que “o aeroporto da Madeira e Porto Santo terão todas as condições, já a partir de segunda-feira, 01 de julho, para se iniciar uma operação de segurança no desembarque na Região Autónoma”.

O chefe do executivo madeirense salientou que o equipamento permite uma “capacidade de testagem e resultados num tempo inferior a 12 horas”, podendo atingir os mais de 11 mil passageiros numa semana.

Miguel Albuquerque referiu que as 12 horas são “o tempo médio que os passageiros devem aguardar” pelo resultado do teste, se o fizer à chegada, admitindo mesmo que possa ser inferior.

“Fizemos ontem [quinta-feira] um ensaio, com 40 passageiros demorou 10 minutos”, mencionou.

O responsável insular explicou os procedimentos que vão ser aplicados, apontado que, “em primeiro lugar, todos os passageiros que desembarcam estão sujeitos ao controlo de temperatura”, o que será efetuado através de “câmaras na zona de desembarque”.

Estas “vão testar automaticamente a temperatura dos passageiros. Se for superior a 38 graus é logo encaminhado para uma zona de enfermaria”, adiantou.

Quanto aos passageiros que “trazem um teste PCR com menos de 72 horas seguem ‘a linha verde’, onde só tem de preencher o inquérito epidemiológico”, enquanto os que não são detentores do mesmo “são encaminhados para a linha azul, onde terão sempre o acompanhamento de pessoal especializado (…) e serão encaminhados para a testagem”.

Miguel Albuquerque apontou que, no aeroporto da Madeira, “existem 25 áreas para realização de testes”.

“Uma vez os testes realizados e preenchido o inquérito epidemiológico, dando ao passageiro facultativamente a permissão para utilização do ATP (aplicação telemóvel), são encaminhados ou para o domicílio ou para os hotéis, aguardarão os resultados, no máximo 12 horas, e depois terão aqui umas férias maravilhosas”, declarou.

O governante insular também anunciou que a Madeira já celebrou um protocolo com um laboratório em Lisboa, onde o passageiro (turista ou residente) poderá fazer o teste PCR 72 horas antes de viajar para a ilha, sendo os custos suportados pelo Governo Regional.

“No Porto será assinado o protocolo, penso na próxima semana, isto para evitar que as pessoas tenham de realizá-lo à chegada e tenham de aguardar o resultado”, complementou.

Miguel Albuquerque salientou que, caso exista uma “situação de evolução da pandemia” na Madeira, que presentemente tem apenas dois casos ativos importados, o executivo madeirense não hesitará em “tomar medidas, sem problema”.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.