Após a subida do número de casos diários, que tinha sido de 853, na segunda-feira, o Reino Unido passou a contabilizar 327.798 pessoas infetadas pelo novo coronavírus, o segundo maior número entre os países europeus, atrás da Espanha (mais de 412 mil), e um total de 41.449 óbitos, o mais elevado do continente.

O Reino Unido inclui nessas estatísticas pessoas que morrem no intervalo de 28 dias após o teste positivo para a covid-19.

O Governo liderado por Boris Johnson continua empenhado em reabrir escolas em Inglaterra, no País de Gales e na Irlanda do Norte a partir da próxima semana, depois de, na Escócia, as aulas terem começado em meados de agosto.

O executivo britânico continua a recomendar aos alunos do ensino básico e do ensino secundário para não usarem máscara, por entenderem que o seu uso pode “impedir a comunicação entre professores e alunos”.

O primeiro-ministro, Boris Johnson, disse hoje que as “alterações nas evidências médicas” nessa área vão ser avaliadas e admitiu que as recomendações oficiais podem ser modificadas se “necessário”.

O ministro da Educação, Gavin Williamson, reconheceu a possibilidade de nem todas os estudantes voltarem às aulas no primeiro dia, face à relutância de alguns pais, mas assumiu o objetivo de garantir o regresso de todos os alunos nas “próximas semanas”.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 813 mil mortos e infetou mais de 23,6 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.