A Presidência ucraniana confirmou que uma delegação estava a caminho do local escolhido para esta nova ronda de conversações, a segunda desde o início da crise.

“Esperamos que eles estejam aqui amanhã (quinta-feira) de manhã”, disse o negociador russo, Vladimir Medinsky, numa comunicação transmitida pela televisão pública russa.

O local escolhido para as negociações situa-se na região de Bialowieza, localidade polaca próxima da fronteira com a Bielorrússia e que dá nome a uma floresta que abrange os dois países e que foi escolhida por ambas as partes.

Na agenda de trabalhos para este segundo encontro de negociações russo-ucranianas está a possibilidade de um cessar-fogo, pedido pela Ucrânia, enquanto continuam os bombardeamentos das forças russas em várias cidades.

Entretanto, o ministro dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia, Dmytro Kuleba, reiterou hoje o compromisso de encontrar uma solução diplomática para a guerra com a Rússia, mas pediu à comunidade internacional que aumente a pressão contra Moscovo.

“A Ucrânia está empenhada em procurar formas de um acordo diplomático. Mas enquanto a Rússia não provar a sua prontidão para negociações construtivas, todos os aliados devem unir-se para aumentar a pressão sobre a Rússia”, defendeu Kuleba, durante uma conversa telefónica com o secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken.

Kuleba aproveitou a conversa com Blinken para agradecer a ajuda norte-americana e ambos acordaram novos carregamentos de armas para a Ucrânia.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.