A sua intenção de trocar a carta de condução portuguesa por um certificado espanhol mediante documentação falsa permitiu aos agentes espanhóis saber que o homem era procurado pela justiça portuguesa, adiantou uma nota da Guarda Civil.

O cidadão português encontrava-se fugido no país vizinho desde 2002, ano em que as autoridades portuguesas emitiram um mandado de detenção europeu (MDE) com base numa condenação a pena de prisão por abuso sexual de uma menor.

Em janeiro, a Guarda Civil obteve informação de uma eventual ação fraudulenta de uma pessoa de nacionalidade portuguesa que residia em Badajoz e que pretendia alterar a carta de condução, detetando "indícios de falsidade" tanto no título de condução português como no bilhete de identidade.

A Guarda Civil, em colaboração com as autoridades portuguesas, pode determinar que o homem vivia em Badajoz há 15 anos com uma identidade falsa usando diferentes documentos oficiais falsos.

Depois de ter sido detido a 18 de fevereiro, foi possível atestar que o homem se encontrava em fuga desde 2002 depois de uma condenação de três anos e oito meses de prisão por abuso sexual a uma menor.

O detido deverá responder ao juiz de instrução de Badajoz pelos delitos de falsidade documental.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.