Musk, de 48 anos, chamou de "pedo guy" ("pedófilo") ao mergulhador britânico Vernon Unsworth, que ajudou a resgatar 12 jovens de uma equipa de futebol, assim como o seu treinador, que estiveram presos numa caverna da Tailândia em julho de 2018.

Unsworth, muito crítico do mini-submarino desenvolvido por Elon Musk, acusou o empresário de transformar a missão de salvamento na Tailândia numa manobra publicitária. O CEO da Tesla não gostou das acusações e passou para o ataque através do Twitter, chamando "pedo" [pedófilo] ao primeiro.

"Foi um ataque não provocado a uma tentativa de boa vontade para resgatar os jovens", revelou Musk no julgamento, ao ser interrogado pelo advogado de Unsworth, Lin Wood. "Estava zangado", prosseguiu o dono da SpaceX. "Foi um erro e uma ofensa; insultei-o também", disse.

Musk citou como exemplo a mensagem do mergulhador que disse para ele "meter o seu submarino onde dói". "É idiomático, assim como eu não queria dizer literalmente que ele era um pedófilo", explicou.

Elon Musk pede desculpa a mergulhador britânico a quem chamou "pedófilo"
Elon Musk pede desculpa a mergulhador britânico a quem chamou "pedófilo"
Ver artigo

De acordo com o The Guardian, as visões do incidente são diferentes. Para os advogados de Unsworth, o insulto de Musk foi uma alegação difamatória que resultou em "vergonha, mortificação, preocupação e angústia" num momento em deveria ter sido "um dos momentos de maior orgulho" da vida do mergulhador. Todavia, para o advogado do CEO da Tesla, a entrevista de Unsworth à CNN que rapidamente galgou para as redes sociais, representou um "ataque" à "genuinidade dos seus esforços" que "não podia ficar sem resposta".

O jornal britânico refere que a defesa de Musk — e que o próprio tem vindo a reiterar várias vezes — está assente no ideia de que não teve qualquer intenção de insinuar que Unsworth era de facto pedófilo, mas que utilizou o termo "pedo guy" quando na verdade quis dizer algo como "velhote assustador ["creepy old guy"].

"Assim como eu achava óbvio que ele não me pretendia sodomizar fisicamente com um submarino, eu pensei que seria óbvio em como não quis dizer que ele era pedófilo", disse Musk. 

Depois, explicou porque não se retratou mais cedo do comentário: "teria sido pior". "Se chamares filho da mãe a alguém, considero até sarcástico afirmar eu não quis dizer que ele cometeu incesto", explicou Musk. "Teria parecido desonesto", rematou.

Musk argumentou também que a resposta de Unsworth ao seu tweet foi na realidade um "insulto equivalente". No entanto, admite, tem noção de que todo este assunto "não é requintado ["classy"]. Porém, acrescentou que fala sobre muitas coisas. E que nem todas "têm a mesma qualidade de pensamento". "Eu diria muito pouco se apenas dissesse aquilo que faz sentido", alongou. 

O multimilionário vai falar novamente esta quarta-feira, mas agora o interrogatório será conduzido pelo próprio advogado. Por seu turno, Unsworth, que ficou ao pé dos seus advogados no tribunal durante todo o processo, só deve testemunhar mais para o final da semana. 

Em 2018, ao The Guardian, o mergulhador disse estar "surpreendido e muito chateado" com o ataque de Musk. "Eu acredito que ele me chamou de pedófilo. Acho que as pessoas já perceberam que tipo de homem é o Musk", disse.

*Com agências 

(Notícia atualizada às 08:51)

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.