Na primeira entrevista televisiva desde que saiu em liberdade, depois de pagar uma fiança no valor de 100 mil dólares (cerca de 88 mil euros), o cantor norte-americano insistiu que não era culpado dos dez crimes de abuso sexual, físicos e emocionais, de que é acusado.

No programa "CBS This Morning", em lágrimas, o cantor de R&B e hip-hop classificou as alegações como "estúpidas", "não verdadeiras", "injustas" e "absurdas".

"Eu não fiz isso, não sou eu, estou a lutar pela minha vida", afirmou, com a voz embargada à jornalista Gayle King.

Na entrevista, marcada por um registo tenso, o artista apelou ainda aos espectadores para analisarem o seu passado e enfatizou que já tinha sido absolvido num caso.

Robert Kelly, de 52 anos, negou sempre as acusações de abusos sexuais, mas o caso voltou a ser noticiado em janeiro depois de as autoridades terem investigado novas suspeitas de crime, na sequência de uma série documental exibida no canal televisivo Lifetime.

A procuradora Kim Foxx chegou a pedir publicamente que as alegadas vítimas denunciassem formalmente o músico para facilitar as investigações.

Músico premiado com três Grammy, R. Kelly começou a carreira na década de 1990 com o álbum a solo "12 Play" e escreveu temas para artistas como Lady Gaga, Celine Dion e Michael Jackson. "I believe I can fly" é um dos temas de sucesso do músico.

Aos 27 anos, R. Kelly terá casado com a então adolescente cantora Aaliyah, de 15 anos, mas ambos não confirmaram o casamento.

Em 2002 foi divulgado um vídeo em que o músico aparecia a ter relações sexuais com uma menor, tendo sido absolvido em 2008 num caso em que era também acusado de pornografia infantil.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.